Mercado fechará em 2 h 48 min
  • BOVESPA

    121.706,23
    -202,80 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.355,53
    -511,62 (-1,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,13
    +0,21 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.835,10
    -2,50 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    56.158,91
    -1.481,10 (-2,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.502,71
    +1.260,03 (+519,22%)
     
  • S&P500

    4.140,43
    -48,00 (-1,15%)
     
  • DOW JONES

    34.189,37
    -553,45 (-1,59%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.013,81
    -581,89 (-2,03%)
     
  • NIKKEI

    28.608,59
    -909,71 (-3,08%)
     
  • NASDAQ

    13.275,75
    -81,00 (-0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3483
    +0,0081 (+0,13%)
     

Starlink: constelação ganha mais 60 satélites e chega a 1.560 no total

Rafael Rigues
·2 minuto de leitura
Starlink: constelação ganha mais 60 satélites e chega a 1.560 no total
Starlink: constelação ganha mais 60 satélites e chega a 1.560 no total

A SpaceX lançou com sucesso na tarde desta terça-feira (04) um foguete Falcon 9 carregando mais 60 satélites para a constelação Starlink, que irá fornecer acesso global à internet em banda larga.

O foguete Falcon 9 decolou da base da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida, às 16h01 (horário de Brasília). O primeiro estágio usado foi o B1049, que já voou outras nove vezes.

Ele é o Falcon 9 Block 5 mais antigo em operação, e foi o primeiro a decolar e pousar sete vezes. Nove minutos após o lançamento ele foi recuperado com sucesso, pousando na balsa autônoma “Of Course I Still Love You”.

Falcon 9
Um foguete Falcon 9. Reutilizáveis, eles foram projetados para uso em até dez missões. Créditos: SpaceX

Em uma apresentação durante o fórum digital Satellite 2021 LEO no início de abril a CEO da empresa, Gwynne Shotwell, afirmou que já havia um total de 1.320 satélites Starlink em operação. Com o lançamento de hoje, já são 1.560 satélites em órbita.

Segundo ela, a empresa espera oferecer “conectividade global total” quando houver cerca de 1.680 satélites em órbita. Ao ritmo de 60 satélites por lançamento, faltariam apenas dois lançamentos para atingir a meta.

Entretanto, não há previsão para o serviço Starlink sair do status de “beta”. “Ainda temos muito trabalho a fazer para tornar a rede confiável. Vamos sair do beta quando tivermos um produto realmente excepcional”, disse Shotwell.

Leia mais:

Starlink no Brasil

Desde o início de fevereiro, a Starlink está aceitando reservas para acesso ao serviço em seu site, mediante o pagamento de uma taxa de US$ 99 (R$ 550). Inicialmente o serviço será oferecido nos EUA, Reino Unido e Canadá, e dependendo da região a previsão para disponibilidade é informada como “de meados ao final de 2021” ou 2022.

Quando o Olhar Digital testou com um endereço em Curitiba, vimos uma mensagem dizendo que a Starlink espera oferecer cobertura na região “no final de 2021”. Mas um aviso no site informa que uma reserva “não é garantia de serviço”, e que pedidos podem demorar “seis meses ou mais para serem atendidos”.

A empresa já registrou duas subsidiárias para operação no Brasil. A Starlink Brazil Serviços de Internet Ltda. (CNPJ 40.154.884/0001-53) foi registrada em 18 de dezembro passado, com capital social de R$ 800 mil (pouco menos de US$ 150 mil). A atividade principal é “Telecomunicações por satélite”.

Os sócios e administradores da empresa são listados como Vitor James Urner e a Starlink Brazil Holding Ltda. Esta é a segunda empresa (CNPJ 39.523.686/0001-30 – 39523686000130), registrada em 22 de outubro e também com capital social de R$ 800 mil.