Mercado fechado

Stargirl pode gerar várias outras séries derivadas, revela produtor

Claudio Yuge

Stargirl, nova série do streaming DC Universe e do canal CW tem feito muito sucesso, com seu tom leve e homenagens ao legado da Era de Ouro dos quadrinhos. Com apenas dois episódios, a atração vem agradando público e crítica e já trouxe muitas referências ao universo da DC Comics. Não demorou para os fãs especularem sobre uma possível expansão desse cantinho do Multiverso DC nas telinhas e, nesta quarta-feira (27), o produtor Geoff Johns admitiu que todos os easter eggs podem até mesmo gerar outros derivados com tramas compartilhadas.

"Você deve prestar atenção em todas (as referências). Existem personagens que parecem irrelevantes, mas não são. As pessoas têm comentado sobre o grande número de easter eggs e eu disse ‘Claro!’, porque foi feito por quem está profundamente envolvido com a tradição (da DC Comics). Adoramos a Sociedade da Justiça e a Stargirl, e todos que trabalham na série realmente se aprofundaram nesse universo, desde a produção até os escritores — todo mundo”, afirmou Johns, exímio conhecedor da história da DC Comics.

O roteirista já escreveu títulos mensais desses personagens na editora e adiantou que vários grupos dos anos 1940 e 1950, como a Sociedade da Justiça e os Sete Soldados da Vitória, serão citados constantemente — principalmente os que não são muito conhecidos do grande público. "Há um monte de personagens e histórias menores e obscuros. Para fãs hardcore não são tão obscuros, mas quando você fala sobre Johnny Thunder e Thunderbolt, isso pode ser obscuro para algumas pessoas. Temos planos para mais e mais séries disso. Temos ideias para explorar todos os cantos do Universo DC a partir deste ponto de vista, assim como temos nos quadrinhos", revelou.

Série traz leveza e diversão, com toda a cafonice que os fãs adoram da Era de Ouro da DC Comics
(Divulgação/DC Universe)

Ele comemorou o sucesso da atração até agora. "Ficamos impressionados com a reação dos fãs ao primeiro episódio. É impressionante, porque colocamos tudo o que tínhamos nele, e Brec [Bassinger] (atriz que interpreta a Stargirl) é incrível como Courtney. Tem sido muito bom ver as pessoas gostarem daquilo que esperávamos que elas iriam gostar", acrescentou.

Stargirl estreou na semana passada no streaming DC Universe e no canal CW, nos Estados Unidos. A série teoricamente faz parte do Arrowverse, na Terra-2 do Multiverso DC, segundo o próprio Johns — ou seja, inicialmente, não deve interagir com as outras atrações do DC Universe ou do Arrowverse, mas isso pode vir a acontecer futuramente. A primeira temporada tem 13 episódios e ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Fonte: Canaltech