Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.062,04
    +13,75 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Standard Chartered vê mudança para trabalho flexível em 2021

Harry Wilson
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Standard Chartered planeja oferecer opções de trabalho flexíveis para mais de 90% de seus 85 mil funcionários ao longo de três anos, um sinal de como a gestão da crise da pandemia tem levado a mudanças de longo prazo no papel dos escritórios.

O banco disse que cerca de metade da equipe poderá solicitar alguma forma de trabalho híbrido a partir do início de 2021. O Standard Chartered espera que o programa alcance cerca de 75 mil funcionários em 55 mercados até 2023.

O banco de Londres também está em negociações com uma empresa terceirizada para fornecer espaços de trabalho “próximos de casa” para os funcionários, de acordo com memorando visto pela Bloomberg News. Uma pesquisa com funcionários no Reino Unido e escritórios na Ásia perguntou se os funcionários preferiam trabalhar no escritório como de costume, mudar para as opções de trabalho remoto ou perto de casa, ou dividir o tempo entre locais diferentes.

O Standard Chartered afirmou que está analisando cuidadosamente os aluguéis de escritórios em um ambiente onde bancos estão sob pressão para controlar custos, mesmo antes do impacto da Covid-19 na economia mundial.

Enquanto alguns executivos de bancos como Jamie Dimon, CEO do JPMorgan Chase, querem que os funcionários voltem ao local de trabalho, outros se inclinam para a abordagem do Standard Chartered - onde o diretor financeiro, Andy Halford, disse recentemente que “a palavra ‘escritório’ se tornará um pouco coisa do passado”.

O banco não divulgou o nome do provedor terceirizado de espaço de trabalho.

“Embora estivéssemos estudando questões sobre o futuro ambiente trabalho há algum tempo, é inevitável que os eventos recentes forneceram um catalisador”, disse no memorando Tanuj Kapilashrami, responsável por recursos humanos do banco.

O Standard Chartered disse que cerca de 60% dos funcionários entrevistados nesta primeira fase aceitaram a oferta para alguma forma de trabalho híbrido. O feedback inicial mostra que cerca de dois terços dos funcionários em Cingapura são a favor de alguma forma de trabalho híbrido; essa proporção sobe para 76% no Reino Unido e 79% nos EUA.

“Antecipamos que a maioria dos funcionários se encaixará em um padrão híbrido, ou seja, alguns dias no escritório e alguns dias trabalhando em casa”, disse o banco.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.