Mercado abrirá em 9 h 46 min
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,54
    -0,61 (-0,85%)
     
  • OURO

    1.825,10
    -36,30 (-1,95%)
     
  • BTC-USD

    38.849,73
    -1.019,34 (-2,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    966,79
    -25,68 (-2,59%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.468,49
    +31,65 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    28.906,75
    -384,26 (-1,31%)
     
  • NASDAQ

    13.905,00
    -76,25 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0771
    +0,0151 (+0,25%)
     

Spray inventado em Hong Kong usa magnetismo para dar "vida" a minirrobôs

·3 minuto de leitura

Pesquisadores da Universidade de Hong Kong criaram um spray capaz de transformar objetos minúsculos em robôs. O composto magnético gruda na superfície do bot do tamanho de um inseto, fazendo com que ele consiga se movimentar na direção desejada.

O revestimento chamado de M-spray é ativado por meio de um campo magnético para transformar objetos inanimados em milirrobôs com capacidades locomotoras distintas e totalmente adaptáveis de acordo com o ambiente em que estão inseridos.

“Nossa ideia é que, ao colocar esse revestimento magnético por toda a superfície de objetos milimétricos, seja possível transformar qualquer material em um robô funcional e fácil de controlar por meio de estímulos externos variados”, diz o engenheiro responsável pelo projeto Yajing Shen.

M-spray usa magnestismo para dar movimento aos robôs (Imagem: Reprodução/University of Hong Kong)
M-spray usa magnestismo para dar movimento aos robôs (Imagem: Reprodução/University of Hong Kong)

Como funciona

O M-spray é feito de partículas de glúten, ferro e álcool polivinílico. Essas substâncias combinadas dão aderência às superfícies ásperas e lisas de objetos multidimensionais de forma instantânea e estável. Ao ser borrifado sobre os robôs, o spray cria uma película de 0,1 a 0,25 milímetro de espessura, tão fina que não altera a estrutura original do bot.

Os pesquisadores programam o alinhamento dessas partículas com um forte campo magnético para definir como será o movimento do robô, que pode se locomover em qualquer direção, dependendo do tipo de alinhamento e do formato do objeto.

Com essa técnica, a equipe do professor Shen conseguiu transformar fios de algodão, tubos de plásticos e até um origami em robôs capazes de rastejar, andar, girar e rolar sobre obstáculos colocados durante o percurso, em superfícies totalmente diferentes.

Dentro do corpo

Os cientistas acreditam que os milirrobôs poderiam ser usados na biomedicina, já que a velocidade e os modos de locomoção podem ser ajustados de acordo com a necessidade, apenas redefinindo o alinhamento das partículas magnéticas.

“O mesmo milirrobô poderia mudar de um movimento de lagarta 3D mais rápido em um ambiente espaçoso para um movimento sanfona 2D mais lento, podendo passar por uma lacuna estreita, explica o coautor do estudo, Xiong Yang.

Milirobô pode se esgueirar dentro de artérias (Imagem: Reprodução/University of Hong Kong)
Milirobô pode se esgueirar dentro de artérias (Imagem: Reprodução/University of Hong Kong)

Outra vantagem é que o spray magnético possui características biocompatíveis e pode se desintegrar e ser totalmente absorvido pelo corpo humano. Nos testes de laboratório, os pesquisadores usaram um cateter revestido com o M-spray para mostrar que o dispositivo era capaz de fazer curvas dentro de uma artéria.

M-spray é absorvido pelo corpo (Imagem: Reprodução/University of Hong Kong)
M-spray é absorvido pelo corpo (Imagem: Reprodução/University of Hong Kong)

O campo magnético variável também permitiu que uma cápsula revestida com o spray levasse um medicamento até um local específico, dentro do estômago de um coelho. “A propriedade de desintegração controlável do M-spray permite que os medicamentos sejam liberados em um local-alvo, em vez de se espalharem pelo órgão. Isso poderia aumentar a eficácia e diminuir os efeitos colaterais em tratamentos mais agressivos e prolongados”, completa o professor Shen.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos