Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.998,16
    -612,03 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Spotify pode lançar serviço de assinaturas para concorrer com Apple Podcasts

Wagner Wakka
·2 minuto de leitura

O Spotify já pode estar preparando uma resposta para o programa de assinaturas de podcast que a Apple anunciou na última terça-feira (20). Segundo o Wall Street Journal, a plataforma de streaming deve também divulgar um programa semelhante na próxima semana.

O site disse ter conversado com pessoas próximas ao projeto que teriam confirmado os planos. Para ser mais competitivo, o Spotify ainda deve não cobrar uma fatia dos lucros de produtores de conteúdo.

A Apple anunciou as assinaturas de podcasts em sua plataforma, com a qual produtores podem cobrar diretamente da audiência pelo acesso a conteúdos exclusivos, com preços a partir de US$0,49 por mês (ou R$ 2,70 na conversão direta). Nesta negociação, a Apple fica com 30% da receita vinda dos assinantes no primeiro ano, taxa que cai pela metade após isso.

O Apple Podcasts também vai ter um pacote com acesso a todos os conteúdos pagos da plataforma. Os inscritos contam com uma variedade de benefícios como a não exibição de propagandas, o acesso a conteúdos adicionais ou antecipados, além de séries exclusivas. O serviço custa US$ 19,99 por ano nos Estados Unidos, o que daria cerca de R$ 110 em conversão direta — o valor para o Brasil ainda não foi anunciado.

Pela reportagem do Wall Street Journal, o Spotify teria um sistema parecido, com conteúdos exclusivos sob assinaturas, mas que não cobra nenhuma fatia de receita dos podcasts. Além disso, a plataforma já possui uma versão paga, sendo que tais conteúdos podem ser incluídos neste pacote, sem custo adicional para os usuários. O Spotify também teria um plano no qual o criador do conteúdo cobra diretamente da audiência.

A movimentação joga luz sobre uma escolha que grande parte dos criadores de conteúdo vão precisar fazer. Por um lado, Apple é conhecida por pagar o dobro por play a criadores em suas plataformas de música. Por outro, o Spotify traz a possibilidade de acessar muito mais gente, tendo em vista que não está inserido no ecossistema fechado da Maçã.

Apesar da reportagem do Wall Street Journal, o Spotify ainda não confirmou que pretende lançar um recurso parecido ao da Apple.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: