Mercado abrirá em 9 h 2 min
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,65
    -0,92 (-2,32%)
     
  • OURO

    1.908,40
    -3,50 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    13.832,57
    +77,81 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    273,32
    +12,03 (+4,60%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.636,27
    -150,92 (-0,61%)
     
  • NIKKEI

    23.410,76
    -75,04 (-0,32%)
     
  • NASDAQ

    11.532,00
    -56,00 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7193
    -0,0039 (-0,06%)
     

SpaceX trabalha em foguete capaz de levar armas a qualquer lugar do mundo em 1h

Danielle Cassita
·2 minutos de leitura

A SpaceX deu mais um passo nas parcerias militares: a empresa de Elon Musk assinou um contrato com o Pentágono para desenvolverem um foguete que será capaz de entregar até 80 toneladas de cargas úteis e armas a qualquer lugar do mundo através de viagens que levariam apenas uma hora. Os testes iniciais do projeto deverão começar em 2021.

Com este novo contrato, a SpaceX irá arcar com os custos e desafios técnicos do projeto. Os testes com o foguete deverão começar no início do ano que vem, e é esperado que o veículo seja capaz de transportar armas pelo mundo até 15 vezes mais rapidamente do que as aeronaves já existentes, como o US C-17 Globemaster — considere que uma viagem da Flórida ao Afeganistão poderia ser feita em uma hora, enquanto o avião em questão precisa de 15 horas para completar o trajeto. "Pense como seria mover a carga útil equivalente à de um C-17 em qualquer lugar do mundo em menos de uma hora", disse o general Stephen Lyons, diretor da US Transportation Command.

(Imagem: Reprodução/SpaceX)
(Imagem: Reprodução/SpaceX)

Este novo sistema de entregas de armas parece ser uma versão militarizada de algo que Elon Musk propôs em 2017, quando falou sobre viagens espaciais tripuladas: na época, ele sugeriu levar passageiros ao espaço e pousá-los rapidamente perto do destino desejado. Então, o novo plano segue essa linha de certa forma — com a diferença de que irá levar armas, e não pessoas.O novo contrato é mais uma evidência das parcerias militares que a SpaceX vem buscando fazer.

No início da semana, a empresa conseguiu um contrato com a empresa militar Space Development Agency para trabalhar no desenvolvimento de quatro satélites de rastreamento mísseis, que terão sensores infravermelhos. Além disso, o exército já se aproximou da SpaceX anteriormente para buscar informações sobre como transformar a constelação de satélites Starlink, de banda larga, em uma rede de navegação militar. Anteriormente, os oficiais da Força Espacial haviam declarado que já estão trabalhando com a empresa de Musk depois de fecharem um contrato, em agosto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: