Mercado abrirá em 9 h 27 min
  • BOVESPA

    116.134,46
    +6.097,67 (+5,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.429,75
    +802,95 (+1,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,70
    +0,07 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.705,10
    +3,10 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    19.572,90
    +406,77 (+2,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,17
    +9,81 (+2,25%)
     
  • S&P500

    3.678,43
    +92,81 (+2,59%)
     
  • DOW JONES

    29.490,89
    +765,38 (+2,66%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.840,75
    +624,96 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    11.370,75
    +85,00 (+0,75%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0761
    +0,0022 (+0,04%)
     

SpaceX provavelmente não precisará de 42 mil satélites para viabilizar internet

A empresa americana SpaceX, que solicitou autorização para lançar até 42 mil satélites para fornecer seu serviço de internet Starlink, provavelmente não precisará colocar tantos em órbita, disse seu diretor de operações nesta segunda-feira (12).

A Starlink - o serviço de internet via satélite do magnata Elon Musk - oferece um serviço de banda larga de alta velocidade aos clientes de regiões com pouca ou sem cobertura das operadoras de telecomunicações através de uma constelação de satélites em órbita terrestre baixa.

"Definitivamente queremos colocar mais satélites em órbita à medida que mais gente quer usar o serviço", disse Gwynne Shotwell a jornalistas.

"Não acredito que precisamos de 40 mil satélites para oferecer um bom serviço em nível mundial", completou.

O grande aumento no número de satélites, especialmente a várias centenas de quilômetros de altitude, provoca temores de um congestionamento na órbita terrestre baixa.

Cientistas expressaram preocupação com o impacto na astronomia terrestre.

A SpaceX pôs em órbita quase 3 mil satélites Starlink desde 2019.

mra/so/kjm/rox/sag/am/mvv