Mercado fechará em 1 h
  • BOVESPA

    106.848,42
    -2.093,26 (-1,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.816,59
    -1.782,79 (-3,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,91
    -2,23 (-2,62%)
     
  • OURO

    1.837,20
    +5,40 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    35.404,03
    +20,84 (+0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    806,84
    -3,77 (-0,46%)
     
  • S&P500

    4.270,37
    -127,57 (-2,90%)
     
  • DOW JONES

    33.446,79
    -818,58 (-2,39%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    13.848,75
    -577,75 (-4,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2407
    +0,0507 (+0,82%)
     

SpaceX leva 105 satélites à órbita "de carona" em 3º lançamento compartilhado

·2 min de leitura

A SpaceX fez mais um lançamento, levando 105 satélites de diferentes empresas "de carona" ao espaço por meio da missão Transporter-3. A missão foi lançada no início da tarde desta quinta-feira (13) e representou o segundo lançamento realizado em 2022, sendo também o terceiro compartilhado dedicado já conduzido pela empresa.

O foguete Falcon 9 deixou a plataforma Space Launch Complex 40, na Flórida, às 12h25 (horário de Brasília). Cerca de nove minutos depois, o primeiro estágio do foguete retornou, pousando em uma plataforma a alguns quilômetros de onde havia decolado. “Isso marca nossa 102ª recuperação em geral”, disse Kate Tice, gerente de engenharia de confiabilidade da SpaceX, durante a transmissão da missão.

O foguete Falcon 9 levou diferentes satélites à órbita — alguns eram menores que latinhas de refrigerante, e outros chegavam ao tamanho de uma máquina de lavar. O maior “passageiro” do grupo era o satélite Sich 2-1, que irá produzir imagens da Terra para o governo da Ucrânia. Junto dele, estava um par de satélites da finlandesa ICEYE e Capella Space, dos Estados Unidos.

As empresas estão trabalhando em uma mini-constelação na órbita baixa da Terra, formadas por satélites que vão monitorar e mapear os oceanos e mantos congelados através de imagens de radar. Já a Umbra enviou o segundo satélite de sua constelação, que poderá fornecer imagens comerciais de radar com grande resolução.

A missão contou ainda com 44 satélites SuperDove da empresa Planet, que se juntam a outros 240 já lançados para a observação da Terra. Entre outras cargas úteis, estavam oito cubesats Tevel, produzidos por estudantes israelenses para serviços amadores de radiocomunicação na órbita baixa da Terra.

A Spire Global enviou cinco pequenos satélites, que agora se juntam aos demais de uma constelação criada para coletar e monitorar dados climáticos e de navios. Já a canadense Kepler Communications enviou quatro cubesats, que se juntam a outros 15 já em órbita. Por fim, havia um trio de satélites da África do Sul, lançados como parte de uma iniciativa governamental para rastrear e monitorar o tráfego marítimo.

Foi necessária quase uma hora e meia para toda esta turma ser liberada do estágio superior do foguete, e a SpaceX confirmou a conclusão da sequência de implantações às 14h, no horário de Brasília. Esta missão marcou o 10º voo e pouso de sucesso do propulsor B1058, que fez seu primeiro lançamento com a missão Demo-2, em 2020. Desde então, o booster já foi usado em diversos lançamentos para a expansão da megaconstelação de satélites Starlink, da SpaceX.

Abaixo, você confere a transmissão completa da missão:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos