Mercado fechado

SpaceX bate recorde enviando 143 satélites à órbita em um único lançamento

Danielle Cassita
·3 minuto de leitura

O mau tempo não impediu a SpaceX de bater um novo recorde no último fim de semana: depois de um adiamento, a empresa lançou o foguete Falcon 9 com 143 satélites “de carona” neste domingo (24), por meio da missão Transporter-1. Ali, a empresa quebrou o recorde de unidades lançadas em uma só missão — a marca anterior pertencia ao Indian Polar Satellite Launch Vehicle, que lançou 104 satélites em 2017.

Na verdade, a missão estava marcada para ocorrer no sábado, mas acabou adiada para o dia seguinte devido ao tempo chuvoso. Já no domingo, a chuva foi substituída pelo céu encoberto e um pouco de calor para acompanhar o lançamento. No início da tarde, os 143 satélites da missão Transporter-1 saíram da plataforma de lançamento com o foguete Falcon 9, no Cabo Canaveral. Pouco depois, o Falcon 9 foi impulsionado para seguir viagem pela costa em direção ao sul da Flórida, antes de passar por Cuba e pelo Mar do Caribe.

Essa trajetória foi parecida com a do lançamento ocorrido em agosto de 2020, o primeiro feito desde a década de 1960 com destino à órbita polar, a qual permite que os satélites voem pelos polos da Terra. Após cerca de 10 minutos, o primeiro estágio do foguete pousou com sucesso na embarcação “Of Course I Still Love You”, que estava pronta no Oceano Atlântico, e completou ali seu quinto voo. Enquanto isso, o segundo estágio do foguete seguia para órbita com seus 143 “passageiros”, reativando brevemente o motor durante a passagem pelo Oceano Índico.

A SpaceX tinha o objetivo de posicionar os satélites em órbita a cerca de 525 km de altitude, com inclinação de 97,5º; após a segunda ignição do motor do estágio superior, a empresa confirmou a realização da injeção orbital, proporcionando as condições para a delicada sequência de lançamento das cargas útei,s que levou mais de meia hora para ser finalizada. Este lançamento foi o primeiro de uma série de missões que estão por vir, e a ideia é que seja lançada uma a cada quatro meses — a próxima, chamada Transporter-2, deverá ser lançada no meio do ano, na base da Califórnia.

Desta vez, os 143 satélites lançados tinham missões variadas, que vão desde comunicação até pesquisas científicas e observações da Terra. Do total de unidades levadas pelo Falcon 9, 10 delas eram os primeiros satélites Starlink lançados em uma órbita polar, que se juntaram aos mais de mil já posicionados em órbitas de inclinação mais baixa, lançados em voos anteriores. Juntos, eles compõem uma megaconstelação de satélites que será capaz de fornecer banda larga com baixa latência para o mundo todo mesmo em localidades remotas.

Em seu site, a SpaceX explica que cobra cerca de U$ 1 milhão de seus clientes para lançar 200 kg de cargas úteis em um voo compartilhado para a órbita heliossíncrona, um destino comum para satélites porque permite que coletem várias imagens sob as mesmas condições de luz. Assim, como os custos caem devido à possibilidade de reutilizar o hardware do Falcon 9, a empresa consegue cobrar preços bem menores do que suas concorrentes para lançar cargas úteis de massa semelhante.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: