Mercado abrirá em 4 h 15 min
  • BOVESPA

    108.651,05
    +249,05 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,09 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,14
    -0,36 (-0,40%)
     
  • OURO

    1.806,90
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    23.041,04
    -795,57 (-3,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,61
    -21,74 (-3,90%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,09 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.487,75
    -0,40 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,67 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.082,00
    +50,50 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2525
    +0,0198 (+0,38%)
     

SpaceX anuncia versão marítima da Starlink

A SpaceX anunciou na última sexta-feira (8) o lançamento de uma versão “marítima” de seu serviço de banda larga via satélite, batizada de Starlink Marítima. Com ela, proprietários de veículos da marinha mercante, plataformas petrolíferas ou mega iates terão acesso à internet com conexão “muito melhor” que o oferecido por concorrentes que custam muito mais caro.

Isso não quer dizer que a Starlink Marítima seja uma pechincha. Para começar, o usuário precisará desembolsar US$ 10 mil (mais de R$ 50 mil) por um par de antenas mais “robustas”, projetadas para aguentar o rigor da vida no mar.

Área de cobertura atual da Starlink Marítima se limita às regioes costeiras. Imagem: SpaceX
Área de cobertura atual da Starlink Marítima se limita às regioes costeiras. Imagem: SpaceX

A mensalidade também é muito mais cara que o serviço em solo: US$ 5.000 (mais de R$ 26 mil) mensais. Mas segundo o site da empresa, a assinatura pode ser “pausada” quando não estiver em uso, o que é uma ótima notícia para quem só usa o iate no verão.

Em troca, assinantes podem esperar velocidade de conexão entre 100 e 350 Mbps no download, 20 a 40 Mbps no upload e latência “menor do que 99 milissegundos”. Para ilustrar a qualidade do serviço, Elon Musk, CEO da SpaceX, publicou no Twitter um vídeo comparando duas transmissões ao vivo de pousos de foguetes Falcon 9 em balsas da empresa em alto mar. A imagem à esquerda é de uma conexão concorrente que custa US$ 150.000 mensais, e a da direta é via Starlink Marítima.

No momento a área de cobertura do novo serviço, se limitando a regiões costeiras das Américas do Norte e do Sul (incluindo litoral brasileiro), Europa, Austrália e a Nova Zelândia. Regiões dos oceanos Atlântico e Pacífico acima do Trópico de Câncer e abaixo do Trópico de Capricórnio receberão o serviço a partir do quarto trimestre deste ano, com o restante sendo atendido a partir do primeiro trimestre do ano que vem.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos