Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    -0,13 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    37.564,49
    +1.793,96 (+5,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,87 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    -1,50 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Sou contra quebra de patentes de vacinas, diz Queiroga à CPI da Covid

·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante depoimento à CPI da Covid no Senado

Por Ricardo Brito e Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, declarou-se nesta quinta-feira, durante depoimento à CPI da Covid no Senado, ser contra a quebra de patentes de vacinas e afirmou temer que a medida, defendida na véspera pelo presidente dos EUA, Joe Biden, possa interferir de maneira negativa no programa de imunização contra a Covid-19 do Brasil.

Em resposta ao senador Marcos Rogério (DEM-RO), Queiroga disse que a quebra de patentes é um assunto muito delicado.

"Naturalmente, isso é uma matéria mais afeta à questão das relações exteriores, mas o meu temor em relação a isso é o de não termos condições, mesmo com a quebra da patente, de produzir essas vacinas aqui no Brasil e, como o nosso programa de vacinação também está calcado em vacinas como a Pfizer e a Janssen, de isso interferir de maneira negativa no aporte de vacinas para o Programa Nacional de Imunizações", disse.

"É claro que isso é uma opinião inicial. O senhor traz esse tema para mim... E eu vi que o presidente Biden se manifestou na imprensa sobre o tema. Isso carece de uma análise mais detida", reforçou.

Ao mesmo tempo, quando indagado, em outro momento, sobre sua posição sobre quebra de patentes de vacinas, o ministro declarou-se contra.