Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.716,66
    +869,48 (+2,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Sony Pictures vai à Justiça na Índia para impedir pirataria nos Jogos Olímpicos

·2 minuto de leitura

Uma decisão da Suprema Corte de Delhi, na Índia, vai garantir que a Sony Pictures seja a única a transmitir os Jogos Olímpicos no país. Segundo a empresa, a ideia é que os indianos assistam às competições no canal oficial, sem recorrer a plataformas ilegais.

Embora a maioria das apresentações dos atletas no Japão esteja acontecendo sem a presença de público, toda a ação tem sido levada a bilhões de espectadores de todo o mundo pela TV. Na Índia, os direitos de exclusividade da transmissão são da Sony Pictures.

No pedido feito à Justiça, a empresa alega que tem motivos para acreditar que a Olimpíada será apresentada de forma ilegal em dezenas de sites não licenciados. O advogado Abhishek Malhotra, representante da empresa, diz que mais de 40 sites e mais de 30 operadoras de cabo multissistema estão envolvidos na distribuição de conteúdo pirata — e que já fizeram isso no passado. A Sony Pictures, então, quer impedi-los.

Imagem: Reprodução/Pixabay
Imagem: Reprodução/Pixabay

Justiça impede 47 sites

O tribunal concordou com o pedido de Malhotra e decidiu vetar 47 endereços (o único nomeado especificamente foi o Yallashootextra.com) de “hospedar, transmitir, reproduzir, distribuir, oferecer e/ou comunicar ao público pela internet material cinematográfico, conteúdo, programa, apresentação ou evento em que os demandantes [a Sony Pictures] tenham direitos autorais”.

A decisão é preventivamente extensiva a sites-espelho ou proxy, que podem ser usados para contornar a proibição. Além disso, 30 provedores de serviços devem bloquear o acesso dos 47 sites, incluindo espelhos e proxys eventualmente criados para abrigar o material.

A ordem é válida até 29 de setembro, quando deve haver nova audiência sobre o caso. Até lá, os Jogos Olímpicos já terão terminado, mas como a determinação inclui todo o conteúdo da Sony Pictures, pode haver pendências ainda a serem resolvidas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos