Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,10 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,43 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,53
    +0,21 (+0,35%)
     
  • OURO

    1.742,40
    -2,40 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    60.173,27
    +830,23 (+1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,35 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,00 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,30 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,06 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.777,25
    -52,25 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7626
    -0,0016 (-0,02%)
     

Sony não vai mais vender ou alugar filmes e séries pela PS Store

Felipe Demartini
·1 minuto de leitura

A Sony anunciou nesta terça-feira (02) que não vai mais vender ou alugar filmes e séries de TV por meio da PlayStation Store. De acordo com a empresa, os serviços voltados a entretenimento sob demanda deixam de funcionar a partir do dia 31 de agosto de 2021, inclusive no Brasil.

A partir da data, apenas conteúdos que já tenham sido adquiridos pelos usuários poderão ser acessados a partir de plataformas como o PlayStation 4, PlayStation 5 ou dispositivos móveis. Aluguéis que ainda estejam em vigência também funcionarão até o fim do prazo e, dali em diante, não será mais possível comprar ou alugar os materiais por meio da loja online.

O comunicado da Sony é breve e sucinto, citando uma evolução nas ofertas de entretenimento e uma melhoria nos serviços prestados. De acordo com a empresa, houve aumento na utilização deste tipo de serviço pelos clientes da marca, mas com uma preferência por plataformas de streaming por assinatura ou com base em anúncios, principalmente nos consoles de videogame.

O comunicado é assinado por Vanessa Lee, diretora de negócios de vídeo da Sony, que não fez comentários adicionais sobre o assunto. A ideia que fica é de que a empresa, apenas, está se adequando à demanda de seus consumidores, que focam no download das soluções de streaming disponíveis na própria PlayStation Store e não na compra ou aluguel de conteúdos presentes na loja.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: