Mercado abrirá em 9 h 2 min
  • BOVESPA

    118.811,74
    +1.141,74 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.352,18
    -275,52 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,01
    +0,31 (+0,52%)
     
  • OURO

    1.732,40
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    60.540,01
    +815,41 (+1,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.294,33
    -0,25 (-0,02%)
     
  • S&P500

    4.127,99
    -0,81 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.745,40
    -55,20 (-0,16%)
     
  • FTSE

    6.889,12
    -26,63 (-0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.757,32
    +304,04 (+1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.879,73
    +341,00 (+1,15%)
     
  • NASDAQ

    13.814,00
    +5,25 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8192
    -0,0113 (-0,17%)
     

Sony domina mercado de câmeras de celular em 2020, mas Samsung se aproxima

Diego Sousa
·2 minuto de leitura

A Sony segue líder no mercado de sensores fotográficos para celulares. De acordo com um relatório divulgado pela empresa de consultoria de mercado Strategy Analytics, a marca japonesa fechou o ano de 2020 equipando quase 50% de todos os smartphones vendidos entre janeiro e dezembro do ano passado — 46% de market share, para ser mais exato.

No entanto, a Samsung vem se aproximando cada vez da rival no setor, revelaram as informações. A Samsung LSI, divisão da responsável pelos sensores fotográficos da linha ISOCELL, fisgou 29% de participação do segmento em 2020, 17 pontos percentuais em comparação com a Sony. Apesar da distância ainda relativamente grande, o relatório apontou que nos anos anteriores a sul-coreana possuía menos de 20% de market share, enquanto a japonesa ultrapassava os 50%.

Entre os possíveis motivos para a diferença decrescente ano a ano está no fato da Sony ter perdido um de seus principais parceiros: a Huawei. Nos últimos dois anos, a fabricante chinesa ficou impedida de negociar com empresas ou utilizar tecnologias de origem norte-americana, o que resultou num declínio astronômico nas vendas em 2020. Por outro lado, a Samsung forneceu sensores fotográficos para ainda mais fabricantes.

A Xiaomi, por exemplo, recentemente anunciou o Mi 11 Ultra com o poderoso ISOCELL GN2 de 50 MP, atualmente o maior sensor de câmera mobile do mundo. O Redmi Note 10 Pro, por sua vez, é equipado com o ISOCELL HM2 de 108 MP, o mesmo sensor presente no recém-lançado Realme 8 Pro. Vivo, OPPO e Motorola também já utilizaram as soluções da Samsung em alguns dos seus lançamentos mais recentes.

(Imagem: Divulgação/Strategy Analytics)
(Imagem: Divulgação/Strategy Analytics)

Em breve, a Sony deve apresentar o primeiro sensor de câmera mobile de 1 polegada, o IMX800. Ele deve estrear junto à linha P50, da Huawei, e ultrapassar o ISOCELL GN2 como o maior sensor fotográfico para celular do mundo — quanto maior a superfície do sensor fotográfico, maior será o pixel; logo, uma maior quantidade de luz será captada.

Fechando o pódio de maiores fabricantes de câmeras para celular está a chinesa OmniVision, com 10% de participação de mercado — juntas, as três principais do setor somam 85% de todos os sensores fotográficos presentes nos smartphones em 2020. A chinesa e a sul-coreana SK Hynix também conquistaram o mercado da Sony em 2020, apontou o analista sênior da Strategy Analytics, Jeffrey Mathews, muito por conta do prejuízo causado pelas sanções contra a Huawei.

"Esperamos que o domínio da Sony no mercado de sensores fotográficos seja cada vez mais ameaçado pelo aumento da concorrência", disse o analista.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: