Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.520,85
    +37,90 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Sony chega a 25 milhões de PS5 vendidos, e espera retomada no ritmo de produção

Em relatório apresentado nesta semana, a Sony revelou que vendeu 3,3 milhões de unidades do PS5 durante o terceiro trimestre deste ano. Com isso, a quantidade total de consoles comercializados já chegou a 25 milhões desde o lançamento, marca a ser comemorada quando consideramos os inúmeros problemas enfrentados nas linhas de produção nos últimos anos.

Quantidade de PS5s vendidos foi semelhante a trimestres anteriores (Imagem: Divulgação/Sony)
Quantidade de PS5s vendidos foi semelhante a trimestres anteriores (Imagem: Divulgação/Sony)

Os números ainda apontam que foram 5,5 milhões de modelos vendidos durante este ano fiscal, valor bastante próximo dos 5,6 milhões no período passado. Porém, isso significa que a marca está com um ritmo mais lento em relação à meta estipulada de 18 milhões para o ano todo.

Caso as vendas permaneçam nessa proporção, a Sony fechará o ano fiscal com algo em torno de 11,5 milhões de consoles vendidos, sem grandes alterações em relação ao anterior.

Porém, esses resultados ainda dependerão do desempenho nas promoções do fim de ano, e também da capacidade de suprir a demanda pelo PS5. Desde o lançamento do console, a empresa teve problemas em suas linhas de produção, por conta da pandemia, crise dos chips e outros fatores.

Em maio, a Sony afirmou que as complicações no fornecimento de componentes tinham sido amenizadas, e por isso poderia seguir uma produção mais normalizada. Ao mesmo tempo, consumidores apontaram que ficou mais fácil encontrar o PS5 nas lojas.

Receita da Sony subiu, mas lucro caiu

Aquisição da Bungie reduziu lucros da marca (Imagem: Divulgação/Sony)
Aquisição da Bungie reduziu lucros da marca (Imagem: Divulgação/Sony)

Mesmo com uma quantidade similar de PS5 vendidos, a empresa viu um aumento de receitas próximo a 12% em comparação direta com ano anterior. Foram cerca de 727 bilhões de ienes obtidos — equivalentes a aproximadamente R$ 25 bilhões em conversão direta.

Essa diferença é explicada por conta do aumento no preço do PS5, aplicado em agosto deste ano em praticamente todos os mercados onde o console é disponibilizado.

Por outro lado, o lucro caiu em aproximadamente 49% por conta da aquisição da Bungie, empresa responsável por títulos como Destiny e Halo, entre outros. Ao mesmo tempo, a Sony também apontou o aumento em outros custos com desenvolvedores de jogos.

Ademais, a companhia ainda viu um decréscimo nas vendas digitais, ao passar de 76,4 milhões para 62,5 milhões em unidades de software. 63% dessa redução são atribuídos a quedas nos downloads digitais, e os números do PlayStation Plus também caíram pelo segundo trimestre consecutivo.

Para o próximo trimestre, a Sony reduziu a projeção de receitas pela expectativa de queda nas vendas de jogos próprios. Porém, ela manteve a estimativa de 18 milhões de PS5 vendidos até o fim do ano fiscal em março de 2023, e ainda aumentou a meta para 23 milhões de unidades no período seguinte.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: