Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,24 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,27 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.772,40
    +1,90 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    64.195,17
    +2.416,52 (+3,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.487,83
    +24,47 (+1,67%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.444,83
    +229,31 (+0,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5147
    +0,0185 (+0,28%)
     

Sonic: conheça a proteína descoberta para potencial tratamento de Parkinson

·2 minuto de leitura

Liderado por pesquisadores da Universidade da Cidade de Nova York (CUNY), um novo estudo parece ter encontrado uma forma inédita — e ainda inicial — para o tratamento de Mal de Parkinson. Após testes com o tratamento experimental em animais, os cientistas esperam que, no futuro, a qualidade de vida dos pacientes com esse distúrbio do sistema nervoso central possa melhorar. O curioso é que a proteína chave para a terapia recebeu o nome de Sonic the Hedgehog. Sim, uma homenagem ao ouriço azul eternizado no mundo dos games.

Segundo os cientistas do estudo, o remédio Levodopa (L-dopa) é considerado uma das melhores alternativas, hoje, para o tratamento de Parkinson. Só que, após alguns anos de uso contínuo, uma parcela significativa de pacientes pode relatar um efeito colateral debilitante, que é conhecido como discinesia induzida por L-dopa (LID).

Concentração da proteína Sonic pode ser a chave para um melhor tratamento contra o Mal de Parkinson (Imagem: Reprodução/Raman Oza/Pixabay)
Concentração da proteína Sonic pode ser a chave para um melhor tratamento contra o Mal de Parkinson (Imagem: Reprodução/Raman Oza/Pixabay)

A LID desencadeia movimentos involuntários nos membros, na face e no tronco dos pacientes. Por sua vez, a medicina já desenvolveu um tratamento que "controla" ou alivia esse problema: a estimulação cerebral profunda. Só que este procedimento é bastante invasivo e não pode ser aplicado em todos os pacientes. Agora, respostas melhores para esse desdobramento da terapia são investigadas.

Estudando a proteína Sonic contra o Parkinson

É neste cenário desafiador que a proteína Sonic the Hedgehog (Shh) pode fazer a diferença na vida dos pacientes com Parkinson, segundo os autores do estudo desenvolvido em modelos animais. Na pesquisa com camundongos, foi possível observar que substâncias que aumentam a concentração da Shh fortalecem a proteção do sistema contra o aparecimento da LID.

"Fornecemos uma nova visão sobre os mecanismos subjacentes por trás da formação de LID e fornecemos uma solução terapêutica potencial", afirma Lauren Malave, pesquisadora da CUNY e principal autora do estudo.

Vale observar que os pesquisadores ainda estão distantes de transformarem essa descoberta em um remédio amplamente disponível. Se estudos futuros continuarem a mostrar este mesmo benefício terapêutico, é possível que, em breve, um tratamento melhor e mais acessível esteja disponível para essa condição neurológica.

Para acessar o estudo completo sobre a proteína Sonic, publicado na revista científica Communications Biology, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos