Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,69
    +0,19 (+0,21%)
     
  • OURO

    1.770,50
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    22.872,48
    -578,58 (-2,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    543,02
    -14,71 (-2,64%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.011,49
    +69,35 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    13.506,50
    -16,75 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2097
    -0,0041 (-0,08%)
     

Socialista francesa Anne Hidalgo pede primárias da esquerda para escolher candidato à Presidência

·1 min de leitura
Prefeita de Paris, Anne Hidalgo

PARIS (Reuters) - A candidata escolhida pelo Partido Socialista francês para concorrer à Presidência defendeu nesta quarta-feira que os partidos de esquerda se unam em um único candidato, a ser eleito por meio de uma votação primária, para a eleição presidencial de abril do ano que vem.

Anne Hidalgo, que também é prefeita de Paris, disse que, se a esquerda não se unir, "será impossível continuar existindo em nosso país".

“Não temos mais tempo a perder”, acrescentou ela em entrevista à emissora TF1, citando a necessidade de dar maior visibilidade política a tópicos como proteção ambiental e educação.

De acordo com pesquisas de opinião, nenhum dos três candidatos de esquerda à Presidência disputaria o segundo turno com o atual presidente e favorito à reeleição, Emmanuel Macron, de centro.

Hidalgo tem cerca de 5% das intenções de voto, atrás do candidato dos verdes, Yannick Jadot, e de Jean-Luc Melenchon, da extrema-esquerda, que também estão na casa de um dígito.

Nenhum dos três comentou anteriormente se estaria disposto a abandonar a disputa em apoio a um candidato de esquerda mais bem colocado.

Mais cedo nesta quarta-feira, o ex-ministro da Economia e Indústria Arnaud Montebourg --um socialista como Hidalgo que tem feito campanha para Presidência de forma independente-- disse que estaria pronto para se retirar e apoiar um candidato único da esquerda.

Os socialistas franceses, o partido mais poderoso do país até 2017, quando controlavam as duas Casas do Parlamento e a Presidência, foram marginalizados após a eleição de Macron, que alterou o cenário político do país.

(Reportagem de Tassilo Hummel)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos