Mercado abrirá em 2 h 2 min
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,33
    +0,57 (+0,68%)
     
  • OURO

    1.800,80
    +4,50 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    62.764,79
    +2.005,50 (+3,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.238,72
    +34,17 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.372,50
    +31,50 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5781
    -0,0027 (-0,04%)
     

Sobe a expectativa de inflação nos Estados Unidos.

·2 minuto de leitura

Com o aumento na expectativa, o Federal Reserve nos Estados Unidos está atento para a alta dos preços e eventual aumento da taxa de juro.

O aumento do juro nos Estados Unidos pode trazer mais pressão sobre os mercados, principalmente para os países emergentes, como é o Brasil.

Juro maior nos Estados Unidos e seus impactos

O Federal Reserve vê como provável a alta dos juros somente a partir de 2023. Ou seja, tanto 2021 quanto 2022 seriam anos onde a taxa de juro nos Estados Unidos permaneceria próximas a zero.

Com tais expectativas, o mercado recebeu grande estímulo, uma vez que a rentabilidade de títulos públicos e da renda fixa está em baixa.

Com uma taxa de juro baixa é natural que a renda variável ganhe notoriedade e atraia mais investidores.

Mas com uma inflação mais forte, o juro pode aumentar antes de 2023 e isso vai gerar impactos em todos os mercados.

Com o juro maior nos Estados Unidos, diversos investidores e instituições que alocam seus recursos em países mais arriscados, vão preferir trazer o dinheiro para os Estados Unidos na tentativa de conseguir manter o patrimônio em uma moeda forte e rendendo bons juros.

Observando isso, o capital de grau especulativo vai exigir “prêmios” ainda maiores para permanecer em regiões mais arriscadas, como ocorre com os recursos estrangeiros alocados no Brasil, ou em países da América Latina. Isso pode gerar volatilidade no câmbio além de inflação.

Como se posicionar visando o aumento do juro nos Estados Unidos?

Considerando o aumento do juro nos Estados Unidos antes de 2023 e com as eleições em 2022, é provável que haja bastante volatilidade no USD/BRL.

Observando isso, é interessante manter uma posição em dólar atares de fundos cambiais. A posição pode ser pequena, uma vez que o fundo cambial só vai ganhar devido à valorização do dólar.

O investimento em ativos influenciados pelo dólar também pode ser uma boa. Dentre eles existem os ETF, como o IVVB11.

O IVVB11 é um ETF que segue de perto as oscilações do índice S&P 500. Se o Ibovespa em 2021 vem se depreciando em 4,54%, o S&P 500 vem se valorizando em 17,92%.

Sendo que o IVVB11 vem ganhando mais de 24,08%. O aumento superior ao índice ocorre devido a valorização do dólar.

Vale destacar que se o mercado brasileiro melhorar, com menos desemprego e um ritmo de crescimento maior e melhor controle do gasto público, as coisas podem ser mais favoráveis e com menos volatilidade do dólar.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos