Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.581,98
    -219,23 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.133,14
    -62,29 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,20
    +1,05 (+1,54%)
     
  • OURO

    1.806,50
    -8,00 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    40.971,43
    +1.241,17 (+3,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.007,20
    +31,31 (+3,21%)
     
  • S&P500

    4.429,10
    +26,44 (+0,60%)
     
  • DOW JONES

    35.064,25
    +271,58 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.120,43
    -3,43 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.160,00
    +86,50 (+0,57%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1718
    +0,0535 (+0,87%)
     

Sobe de 66 para 82 casos de Covid-19 de envolvidos com Copa América, diz Ministério da Saúde

·1 minuto de leitura
Estádio Mané Garrincha em Brasília

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira que foram confirmados 82 casos de Covid-19 de pessoas envolvidas na Copa América, uma elevação em relação ao dado da véspera, de 66 infectados.

Dos 82 contaminados, 37 são de jogadores e membros das delegações e outros 45 de prestadores de serviços contratados para o evento. Houve, assim, um aumento de 10 jogadores e integrantes de delegações infectados e 6 prestados de serviço em relação à quinta-feira.

"Os casos de prestadores de serviços foram confirmados em Brasília (DF), Cuiabá (MT), Goiânia (GO) e Rio de Janeiro (RJ). Os resultados do sequenciamento genético para análise de variantes serão concluídos em até 14 dias, prazo necessário para realização da análise", informou a pasta.

O Ministério da Saúde disse ter realizado 6.926 testes de RT-PCR entre jogadores, membros das delegações e prestadores de serviços. Destacou que o índice de positividade de casos por Covid-19 geral foi de 1,2%.

Desde o início do evento, no final de semana, foram diagnosticados com Covid-19, atletas das seleções da Venezuela, Colômbia e Bolívia. Na quinta, o Chile informou que um integrante da delegação testou positivo, mas não especificou se era um jogador.

O Brasil decidiu permitir a realização da competição depois de Colômbia e Argentina desistirem de sediá-la. O primeiro, pela onda de protestos violentos contra reformas propostas pelo governo. O segundo, pela alta nos casos de Covid-19 no país.

Apesar de o país registrar mais de duas mil mortes por dia várias vezes na semana, o presidente Jair Bolsonaro aceitou e defendeu a realização do torneio.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos