Mercado fechado

Sob investigação, Facebook fornecerá documentos à Justiça

Nathan Vieira

Não é nenhum segredo que o Facebook tem enfrentado períodos árduos de constante investigação por conta de questões envolvendo a invasão de privacidade de seus usuários, algo que já chegou até a virar documentário da Netflix, por causa do famoso ocorrido da Cambridge Analytica.

Acontece que, depois que a promotoria geral da Califórnia foi ao tribunal para obrigar a rede social a atender aos pedidos de informações em sua investigação nessa seara, a empresa achou que a melhor saída era colaborar e entregar documentos adicionais. No próximo dia 26, o Facebook - que inclusive chegou a concordar com um cronograma para fornecer papeis adicionais em dezembro e janeiro - vai responder a alguns dos pedidos. As informações são da agência de notícias Reuters.

Para os pedidos de documentos que permanecem em disputa, um juiz realizará uma audiência em 19 de fevereiro. Will Castleberry, vice-presidente de políticas públicas estaduais e locais do Facebook, afirmou na última quinta-feira (21), em meio a um comunicado, que a empresa “cooperou extensivamente com a investigação do Estado da Califórnia, fornecendo milhares de páginas de respostas por escrito e centenas de milhares de documentos no ano passado. Aguardamos ansiosamente a cooperação contínua e a solução dos pedidos restantes do procurador-geral".

Facebook enfrenta multas por conta de falta de privacidade dos seus usuários

Em julho deste ano, a companhia foi condenada pelo Federal Trade Comission (FTC) e terá de pagar uma multa de US$ 5 bilhões (R$ 20 bilhões, aproximadamente) por ter usado de maneira indevida informações de 87 milhões de usuários de sua rede social. Segundo o órgão, o Facebook falhou em proteger os dados de usuários de empresas terceirizadas e descumpriu leis ao mentir, dizendo que sistemas de reconhecimento facial estariam desativados por padrão.

O órgão também fechou acordo de restrições de atuação e o Facebook, agora, passará trimestralmente por uma análise privada de novos serviços e produtos em desenvolvimento, com os resultados sendo apresentados ao CEO, Mark Zuckerberg, e a assessores. Além disso, a rede social vai pagar multa de £ 500 mil (cerca de US$ 644 mil ou R$ 2,59 milhões) por conta do escândalo da Cambridge Analytica.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: