Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,61 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    34.700,06
    -3.731,94 (-9,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Snapdragon 8 Gen 1 decepciona em CPU, mas impressiona em gráficos em mais testes

·4 min de leitura

Com o recém-anunciado Motorola Edge X30 em mãos, primeiro celular a contar com o novo Snapdragon 8 Gen 1, o analista Golden Reviewer realizou um teste aprofundado para avaliar o desempenho da plataforma da Qualcomm em comparação ao antecessor e concorrentes. Os resultados são mistos: enquanto a CPU deixa a desejar, a GPU impressiona ao igualar pela primeira vez em anos a performance gráfica do Android ao iOS.

Snapdragon 8 Gen 1 mostra poder dos núcleos e GPU em testes

Os primeiros testes, realizados no benchmark SPECint06, avaliam o desempenho da CPU, mais especificamente do núcleo de máxima performance e do trio de núcleos de alto desempenho. O Snapdragon 8 Gen 1 é um dos primeiros chips do mercado a adotar os novos Cortex-X2 e Cortex-A710, em clusters de 1 e 3 núcleos, respectivamente.

Apesar disso, os números decepcionam, mas curiosamente não como o esperado — são os núcleos Cortex-A710, e não o Cortex-X2, que apresentam resultados abaixo do prometido. A expectativa de que a solução mais potente seria a responsável por atrapalhar o processador se deu pela fama da geração anterior, com elevado aquecimento, mas, ao que parece, os maiores culpados desta vez são os núcleos intermediários.

Ainda que o Cortex-X2 tenha apresentado um ganho palpável de 15% em desempenho em comparação ao Cortex-X1, o componente mais recente acabou sofrendo uma perda semelhante em eficiência, consumindo 16% mais energia. A situação é pior com o conjunto de Cortex-A710, que mesmo com litografia refinada e nova arquitetura, praticamente não apresentou melhorias, chegando a perder quase 40% de eficiência em relação ao conjunto de núcleos Cortex-A78 presentes no Snapdragon 888.

A situação é completamente oposta quando o assunto é a GPU: a Adreno 730 mostra saltos massivos de performance e eficiência, oferecendo 50% mais desempenho, ao mesmo tempo em que consome 44% menos energia. Os ganhos foram suficientes para colocá-la em posição de igualdade com a GPU do A15 Bionic da Apple, presente no iPhone 13 Pro.

É importante reforçar que os números referem-se ao pico de performance, para uso intenso em curtos períodos. Em uso prolongado, o chip parece sofrer com alto aquecimento, como revelam os testes de Golden Reviewer em Genshin Impact.

A temperatura pode ser resultado de um perfil de desempenho agressivo, especialmente quando consideramos que a taxa de quadros se mantém respeitável durante todo o teste. Fora isso, é necessário aguardar por testes mais aprofundados em cenários diferenciados para que uma conclusão mais concreta possa ser estabelecida, ponto reforçado pelos conhecidos problemas de otimização do game.

Chip enfrenta forte concorrência da MediaTek

Golden Reviewer também compartilhou testes realizados pelo analista Chinese Reviewer 肥威, que comparam a CPU do Snapdragon 8 Gen 1 com a do Dimensity 9000 da MediaTek. Ambos compartilham de configurações muito semelhantes, mas mostram um cenário curioso: o Cortex-X2 mostra um avanço razoável, com performance similar entre os chips, enquanto o conjunto de Cortex-A710 sofre significativamente no chip da Qualcomm.

A solução da MediaTek, por outro lado, se sai bem e marca 15% melhor com o conjunto intermediário de núcleos, chegando a uma eficiência energética impressionante, 40% melhor. Isso se reflete em testes multi-core, especificamente no Geekbench, em que o Dimensity abre vantagem de 15% ao atingir 4.324 pontos, contra 3.740 pontos do Snapdragon, quase a mesma pontuação do antecessor.

Considerando as similaridades nas especificações, as diferenças de desempenho apontam para um culpado: a litografia utilizada pela Qualcomm. Enquanto a MediaTek fabrica seus chips com o processo N4 de 4 nm da TSMC, a desenvolvedora do Snapdragon optou pelo processo de 4 nm da Samsung, reconhecidamente inferior às tecnologias da fundição taiwanesa.

Rumores indicam que a empresa está ciente dessa deficiência, e pretende lançar em meados de 2022 uma versão revisada do Snapdragon 8 Gen 1, agora sob responsabilidade da TSMC. Não se sabe, no entanto, se a novidade seria considerada uma nova geração, ou apenas uma versão "Plus" do atual flagship. Também vale destacar que o suposto chip não passa de especulação até o momento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos