Mercado fechará em 1 h 41 min
  • BOVESPA

    113.585,26
    -2.082,52 (-1,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.104,66
    -46,72 (-0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,11
    -0,11 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.767,20
    -30,70 (-1,71%)
     
  • BTC-USD

    49.831,99
    +22,35 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    997,30
    +2,64 (+0,26%)
     
  • S&P500

    3.846,36
    -79,07 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    31.491,74
    -470,12 (-1,47%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.886,25
    -415,75 (-3,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7315
    +0,1610 (+2,45%)
     

SMIC diz que não consegue atender demanda, cita escassez de chips e sanções

Josh Horwitz
·2 minuto de leitura
.

Por Josh Horwitz

XANGAI (Reuters) - A chinesa Semiconductor Manufacturing International (SMIC) não consegue atender à demanda de cliente e suas fábricas estão operando com capacidade total há vários trimestres, disse a empresa nesta sexta-feira.

Zhao Haijun, co-presidente-executivo da maior fabricante de chips da China, fez a declaração em teleconferência após a divulgação de resultados trimestrais. Ele também disse que as sanções externas seguirão afetando o crescimento da receita.

No quarto trimestre, a SMIC reportou vendas de 981 milhões de dólares, aumento anual de 16,9%. No entanto, a empresa espera que a receita aumente pouco menos que 10% em 2021.

"Sem essas influências, a SMIC poderia ter mantido o ritmo de crescimento recorde do ano passado", disse Zhao. "Embora não possamos controlar as forças externas, vamos cultivar novas possibilidades diante da crise e das mudanças do setor."

A SMIC é uma peça-chave nos esforços da China para desenvolver suas capacidades de fabricação de semicondutores, mas as sanções do governo Trump impediram as empresas norte-americanas de fornecer à companhia.

Zhao acrescentou que a empresa segue em negociações com fornecedores e com o governo dos EUA para obter licenças que lhe permitam adquirir equipamentos para aumentar a produção.

A SMIC é participante importante na cadeia global de fornecimento de semicondutores, que está sob forte pressão à medida que o isolamento causado pela pandemia aumenta a demanda por eletrônicos, como notebooks e telefones.

Fabricantes de automóveis de todo o mundo foram pegos de surpresa pela escassez de chips, e empresas como a General Motors e a Stellantis anunciaram que reduziram a produção e dispensaram milhares de funcionários.

Zhao disse que a SMIC não sentiu muita pressão por chips no setor automotivo, mas que em outras áreas a empresa está sob intensa pressão.

Ele acrescentou que, no que diz respeito a preços, a empresa honra contratos com seus clientes de longo prazo, mas que as mudanças no mercado deram à empresa muito espaço de negociação, o que seus clientes entendem.

(Por Josh Horwitz)

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS AAP