Mercado abrirá em 2 h 59 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,71
    -0,06 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.852,80
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    31.911,79
    -456,50 (-1,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    645,39
    -31,51 (-4,66%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.675,11
    +36,26 (+0,55%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.439,00
    -36,50 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

SLC Agrícola tem aprovação do Cade para aquisição da Terra Santa

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A SLC Agrícola recebeu aprovação sem restrições do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aquisição da totalidade da Terra Santa Agro, segundo publicação do órgão antitruste no Diário Oficial da União desta quinta-feira.

A SLC divulgou no final de novembro passado a assinatura de um memorando de entendimento com termos e condições para assumir as operações da Terra Santa Agro, em transação avaliada em 550 milhões de reais.

O negócio envolverá uma reorganização societária prévia da Terra Santa Agro, que criará um veículo (TS LAndCo) para segregar ativos e passivos vinculados às propriedades rurais da companhia, que estarão excluídos da operação.

"Com isso, a presente operação abrange parcialmente as atividades da Terra Santa, focando-se nas atividades de produção e comercialização de soja, milho e algodão", explicou o Cade em parecer sobre o negócio.

Segundo o órgão estatal, a aquisição "não levanta maior preocupações em termos concorrenciais" e foi aprovada em rito sumário, sem restrições.

A SLC informou em novembro que a compra da Terra Santa será feita por incorporação de ações e que a relação de troca na transação deverá considerar um valor líquido ("equity value") de 65 milhões de reais, enquanto o valor remanescente da operação equivale a assunção de dívida e/ou caixa.

(Por Luciano Costa)