Mercado abrirá em 8 h 10 min

Slack tem queda de 20% em suas ações após previsão morna de crescimento

Felipe Ribeiro

O mercado financeiro tem suas idiossincrasias. Mesmo relatando crescimento no último trimestre do ano fiscal de 2020, período que terminou no último dia 31 de janeiro, o Slack registrou forte queda no valor de suas ações por conta do prognóstico "morno" que a empresa revelou aos acionistas e investidores. As perdas foram de 20% e ocorreram logo depois da amostragem desse panorama.

De acordo com o Yahoo Finance, a expectativa de crescimento para o ano fiscal de 2021 (que acabou de iniciar e se finaliza em janeiro do ano que vem), será um pouco abaixo do que os investidores imaginavam ou queriam - mas não tão abaixo. A projeção do Slack é de que no primeiro trimestre do próximo ano fiscal, as receitas de US$ 185 milhões a US$ 188 milhões, representando um crescimento anual de 37% a 39% e perda líquida não-GAAP (Generally Accepted Accounting Principles ou princípios contábeis aceitos) por ação de US$ 0,07 a US$ 0,06. Para o ano, a empresa espera receita total de US$ 842 milhões a US$ 862 milhões, um aumento anual de 34% a 37% com perda líquida não-GAAP por ação de US $ 0,21 a US $ 0,19.

Já os investidores...

Pelo lado dos investidores, os desejos, por assim dizer, eram um pouco maiores. Para eles, o Slack deveria estipular receita total do primeiro trimestre em US$ 188,37 milhões com perdas não-GAAP de US$ 0,07. Para o ano, os acionistas esperavam US$ 854,45 milhões em receitas e US$ 0,21 de perdas.

Para efeito de comparação e contexto, no quarto trimestre fiscal de 2020 a receita do Slack aumentou para US$ 181,9 milhões, um ganho de 49% em relação mesmo período do ano anterior. Os investidores esperavam que o Slack alcançasse US$ 174,14 milhões em receita líquida, ou seja, as expectativas foram superadas. Para completar os dados, a empresa também reportou margens brutas de 86,6% no período, um grande prejuízo operacional de US$ 91,2 milhões e lucro líquido negativo de US$ 89,1 milhões.

Por que, então, a queda?

A explicação dada pelo pessoal do TechCrunch é de que, por ser dominante no campo das empresas SaaS (Software as a Service), a ideia do mercado e dos acionistas era de que o Slack superasse todas as expectativas, e não apenas apresentasse margens idênticas ao que seus próprios investidores queriam. Somado isso ao fato de que o mundo vive uma grande instabilidade por conta do coronavírus e o futuro parece incerto. Portanto, com a previsão morna do Slack e o atual momento econômico global, deu-se a queda de 20%.

De todo modo, só teremos certeza mesmo quando o mercado se estabilizar, o que pode ocorrer nas próximas semanas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: