Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.689,24
    -1.769,10 (-4,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Situação do Bitcoin na China não é séria como se pensa, diz CEO de mineradora

·3 minuto de leitura

O CEO da BTC.TOP, Jiang Zhuoer, utilizou suas redes sociais para explicar as recentes decisões tomadas pelo governo chinês em relação às atividades envolvendo o Bitcoin (BTC) no país.

Numa série de publicações feitas no Twitter nesta segunda-feira (24), Zhuoer, que lidera uma das maiores mineradoras de Bitcoin na China, discorreu sobre as recentes proibições feitas no país.

A BTC.TOP teve que suspender suas atividades de mineração devido às medidas realizadas pelo governo chinês na semana passada, que também deve afetar operações de trade no país. Alguns dias antes, o governo já tinha reiterado a proibição imposta a bancos e empresas de pagamentos para oferecer serviços envolvendo a criptomoeda.

Apesar de as medidas gerarem uma onda de preocupação em todo o mercado de criptoativos, refletindo negativamente no preço do BTC e de outras moedas, Jiang Zhuoer afirma que a situação não é tão “séria como se pensa”.

Mineração individual

Logo em seus primeiros posts, o CEO da mineradora explica que o principal ponto das novas medidas de restrição é prevenir e controlar os riscos financeiros envolvendo este setor. No entanto, isso impactaria apenas empresas que realizam essas atividades, e não pessoas físicas.

“Em outras palavras, a mineração individual é e sempre foi permitida, desde que você seja responsável por seus próprios riscos e lucros, enquanto a mineração operada pelo capital financeiro pode ser proibida”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Dessa forma, apesar de grandes empresas de mineração sofrerem perdas significativas com as atuais medidas, mineradores individuais na China poderiam continuar e até mesmo aumentar as suas atividades, fazendo toda a rede Bitcoin ser “tão resiliente como sempre”.

Zhuoer ainda afirma que pessoas mais experientes neste mercado e com mais capital poderão alugar depósitos e colocar dezenas de máquinas mineradoras para serem integradas à rede.

“Em conclusão, a mineração de #Bicoin existirá normalmente, exceto que a mineração na China será transferida de datacenters de tamanho industrial para mineradores domésticos, mineradores de pequeno ou médio porte. Toda a rede Bitcoin sempre será forte, mesmo com o declínio do hashrate em 50%.”

Influência da China

china
china

Por fim, ele fala que a força de mineração desempenhada no país, o “hashpower”, fluirá para o exterior, de maneira parecida ao efeito visto com as exchanges chinesas em 2017.

Para Zhuoer, grandes pools de mineração estabelecidos na Europa e América do Norte passariam a ter um maior poder de mineração em relação às mineradoras chinesas. Entretanto, não haveria mudanças significativas para a rede do Bitcoin em si.

Ainda segundo ele, empresas do país especializadas em produtos para essas atividades, como a Bitmain, focariam em comercializar suas peças para empresas do exterior, e não mais para o mercado chinês.

O artigo Situação do Bitcoin na China não é séria como se pensa, diz CEO de mineradora foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.