Mercado fechará em 4 h 10 min
  • BOVESPA

    112.939,32
    -92,66 (-0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.739,30
    +100,94 (+0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,80
    -2,61 (-2,92%)
     
  • OURO

    1.789,90
    -8,20 (-0,46%)
     
  • BTC-USD

    23.875,11
    -302,30 (-1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    568,33
    -3,59 (-0,63%)
     
  • S&P500

    4.305,15
    +8,01 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.148,07
    +235,63 (+0,69%)
     
  • FTSE

    7.536,06
    +26,91 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    19.830,52
    -210,34 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,87 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.646,00
    -35,25 (-0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2331
    +0,0546 (+1,05%)
     

Sistemas dos Correios sofrem ataque cibercriminoso

·2 min de leitura

Os sistemas dos Correios foram alvo de um ataque cibercriminoso durante a madrugada desta quinta-feira (23), com sites e serviços online permanecendo fora do ar por algumas horas. Quem tentava acessar a página oficial do serviço, por exemplo, recebia uma mensagem de que o servidor estava indisponível, enquanto aplicativos e outras soluções deixaram de funcionar.

O funcionamento foi restabelecido em torno das 11h da manhã, com os Correios afirmando que as plataformas seguem funcionando com “quase toda a capacidade”. A estatal, entretanto, não confirmou ter sido vítima de um ataque cibernético, afirmando apenas que seu portal e parte dos sistemas corporativos apresentaram instabilidade, sem qualquer indício de perda ou sequestro de dados.

Enquanto isso, ainda na madrugada, o grupo LapSus assumiu a autoria de mais um ataque contra os serviços do governo. No Telegram, a quadrilha anunciou o golpe contra os Correios e prometeu dar mais informações, sem falar nas características do ataque e eventuais ações — foram eles, por exemplo, os responsáveis pelos incidentes contra o Ministério da Saúde, Polícia Federal, Controladoria Geral da União (CGU) e tantos outros órgãos oficiais que vêm sendo vítimas nas últimas duas semanas.

<em>Grupo LapSUS, também responsável por ataque ao Ministério da Saúde e outros órgãos do governo, assumiu autoria de golpe contra os Correios; estatal não confirmou incidente cibercriminoso (Imagem: Reprodução/Poder360)</em>
Grupo LapSUS, também responsável por ataque ao Ministério da Saúde e outros órgãos do governo, assumiu autoria de golpe contra os Correios; estatal não confirmou incidente cibercriminoso (Imagem: Reprodução/Poder360)

“A perspectiva é que esses ataques se intensifiquem, enquanto a sofisticação e escala continuam a quebras recordes”, aponta Claudio Bannwart, diretor regional da Check Point Research Brasil. De acordo com dados da empresa especializada em cibersegurança, houve um aumento de 62% nos golpes semanais em nosso país, bem como 8% nos incidentes especificamente relacionados a ransomware.

Por isso, a recomendação é quanto ao reforço das estratégias de segurança, principalmente em casos como o do governo brasileiro, em que polícias não adequadas de proteção podem ter tornado os sistemas vulneráveis. Os indícios, por exemplo, são de senhas disponíveis publicamente e seguindo padrões específicos, bem como falhas na atualização de servidores e erros humanos que levaram à ação em massa dos criminosos ao longo das últimas semanas.

No maior dos problemas, o aplicativo Conecte SUS, que traz todos os registros de internações, tratamentos e remédios obtidos pelos cidadãos no Sistema Único de Saúde, incluindo comprovantes de imunização contra covid-19, segue fora do ar desde o dia 10 de dezembro, quando os ataques começaram. O Ministério da Saúde não informou uma nova previsão de retorno, enquanto o ministro Marcelo Queiroga disse que a ideia era que a plataforma retornasse nesta quarta (22), o que não aconteceu.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos