Mercado abrirá em 4 h 20 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,29
    -0,10 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.882,80
    +3,60 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    13.206,00
    -35,96 (-0,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,46
    -11,23 (-4,12%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.582,80
    -146,19 (-2,55%)
     
  • HANG SENG

    24.588,70
    -120,10 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.247,75
    +115,00 (+1,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7385
    +0,0041 (+0,06%)
     

Singapore Airlines transforma superjumbo A380 em restaurante

Kyunghee Park
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Singapore Airlines transformou um de seus superjumbos Airbus A380 em um restaurante temporário e reforça a lista de companhias aéreas que buscam novas maneiras de levantar recursos em meio à paralisação das viagens devido ao coronavírus.

Os comensais podem escolher sua classe na cabine, onde serão servidas refeições com duas bebidas alcoólicas e outras bebidas à vontade, informou a empresa em comunicado. O avião, estacionado no aeroporto de Changi, estará aberto nos dias 24 e 25 de outubro. Um tour pela aeronave estará disponível antes do almoço, e os clientes poderão assistir aos canais de entretenimento durante a refeição.

A companhia aérea, que teve prejuízo líquido recorde de 1,12 bilhão de dólares cingapurianos (US$ 817 milhões) no trimestre até junho, vai demitir cerca de 20% da força de trabalho. A empresa também oferece uma variedade de refeições da primeira classe e classe executiva e um serviço em que um chef particular aquece os pratos e serve os clientes em casa. As visitas às instalações de treinamento da companhia aérea estarão disponíveis no final de novembro.

A Singapore Airlines disse que não planeja ir em frente com a ideia de um voo de curta duração devido a comentários recebidos, que incluíram preocupações ambientais. Algumas outras aéreas da região, como a ANA Holdings e a Starlux Airlines, de Taiwan, lançaram os chamados voos para lugar nenhum, para atender clientes que ainda desejam voar.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.