Mercado abrirá em 2 h 6 min
  • BOVESPA

    115.062,54
    -1.118,01 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,56
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.780,70
    -14,10 (-0,79%)
     
  • BTC-USD

    48.052,40
    +421,71 (+0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.234,87
    +37,66 (+3,15%)
     
  • S&P500

    4.480,70
    +37,65 (+0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.814,39
    +236,82 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.049,09
    +32,60 (+0,46%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.476,25
    -27,75 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1446
    -0,0514 (-0,83%)
     

Sindicatos de trabalhadores dizem que manifesto de Skaf distribui culpa entre Poderes

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Centrais sindicais dizem que sindicatos de trabalhadores foram abordados para assinar o manifesto da Fiesp em defesa da harmonia entre os Poderes, mas acharam que falta firmeza no conteúdo do texto, e decidiram escrever um outro documento separadamente, em nome dos trabalhadores.

Conforme antecipou o Painel S.A., da Folha de S.Paulo, na sexta (27), Paulo Skaf, presidente da Fiesp enviou mensagens para entidades e associações dizendo que "mais do que nunca, o momento exige aproximação e cooperação entre Legislativo, Executivo e Judiciário e ações para superar a pandemia e consolidar o crescimento econômico e a geração de empregos".

O manifesto das centrais sindicais e dos sindicatos deve sair nos próximos dias, segundo João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical.

A avaliação dos sindicatos é a de que o posicionamento de Skaf distribui a culpa entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, quando deveria fazer a crítica mais direta ao papel desagregador de Bolsonaro.

"Faltou ser mais incisivo e dizer onde está o nó das coisas. Na nossa opinião, o nó que prejudica a economia e o desenvolvimento político e econômico é a maneira como Bolsonaro conduz as coisas", afirma Juruna.

Se, por um lado, os trabalhadores consideraram leve o texto de Paulo Skaf (que é visto como um dos representantes do setor privado com maior aproximação com o presidente), por outro, o governo interpretou o documento como uma crítica, especialmente no momento em que estão acontecendo outras manifestações contrárias à gestão Bolsonaro no empresariado.

Caixa Econômica e Banco do Brasil ameaçaram deixar a Febraban, a federação dos bancos, se a entidade assinasse o documento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos