Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.313,26
    -118,30 (-0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Sindicatos planejam manifestação na porta da Americanas

***ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO, RJ, 27.03.2020 - Lojas Americanas em funcionamento, após decreto da Prefeitura do Rio, no Recreio dos Bandeirantes,  zona oeste da cidade (Foto: Tércio Teixeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO, RJ, 27.03.2020 - Lojas Americanas em funcionamento, após decreto da Prefeitura do Rio, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da cidade (Foto: Tércio Teixeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sindicatos de comerciários que acompanham a evolução do caso Americanas planejam uma manifestação para as próximas semanas.

Marcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro e dirigente nacional da central CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), diz que está em contato com sindicalistas de outros estados para organizar o protesto.

A ideia é fazer um ato na porta do escritório da empresa no Rio de Janeiro, afirma Ayer.

Segundo Nilton Neco, presidente do Sindicato dos Comerciários de Porto Alegre e coordenador do setor comerciário da Força Sindical, o movimento também tem pedido um encontro com a direção da empresa. "Já entramos em contato para marcar reunião. Queremos discutir se há intenção de fazer demissão, quantas, quando, e tentar garantias de que isso não vai acontecer", afirma.

Valeir Ertle, secretário nacional de assuntos jurídicos da CUT e secretário geral da Contracs-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio e Serviço da CUT), afirma que estão estudando a possibilidade de entrar na Justiça contra a empresa e os empresários. Segundo ele, no início da semana, os dirigentes se reúnem para discutir ações conjuntas.