Mercado abrirá em 10 mins
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,59
    +0,12 (+0,15%)
     
  • OURO

    1.893,70
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    22.726,89
    -437,88 (-1,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,54
    -13,35 (-2,49%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.940,07
    +54,90 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    21.624,36
    +340,84 (+1,60%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.687,50
    +142,25 (+1,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5809
    +0,0135 (+0,24%)
     

Sindicato visita lojas da Americanas para orientar funcionário sobre escândalo contábil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Sindicato dos Comerciários de São Paulo iniciou uma rodada de visitas às lojas das Americanas para orientar os trabalhadores sobre o escândalo contábil de R$ 20 bilhões no balanço da varejista.

A ideia, segundo Ricardo Patah, presidente do sindicato, é estabelecer um canal de diálogo para receber relatos sobre eventuais reflexos do problema no cotidiano dos trabalhadores nas lojas.

"Infelizmente, no Brasil, nós tivemos muitas experiências de falências, como Casa Centro, Mesbla, Mappin e outras. Estamos tomando medidas preventivas, caso isso venha a acontecer, porque o valor é exorbitante e o número de funcionários é enorme, são 40 mil no país. Não queremos que tenha consequências sobre os trabalhadores", diz Patah.

Ele afirma que o sindicato preparou um documento convidando a empresa para explicar quais são as possíveis consequências do caso e se há risco de impacto no emprego. Também vai encaminhar ao Ministério Público do Trabalho um documento para demonstrar preocupação e sugerir atuação em conjunto para compreender o problema.

"Muitas vezes, os trabalhadores, no local, têm sensibilidade e sabem nos informar, antes de qualquer procedimento que se torne público. Além da visita às lojas, nosso site também vai informar aos trabalhadores da Americanas que nos procurem caso percebam qualquer tipo de movimentação diferente", afirma Patah.

A varejista obteve liminar na sexta (13) que a protege por 30 dias contra vencimento antecipado de dívidas, prazo que poderá ser usado para buscar acordo com credores ou pedir recuperação judicial.