Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.539,83
    +1.882,18 (+1,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.201,81
    +546,36 (+1,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    41,51
    +0,05 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.912,90
    -2,50 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    11.941,85
    +884,84 (+8,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    239,54
    +0,62 (+0,26%)
     
  • S&P500

    3.443,12
    +16,20 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    28.308,79
    +113,37 (+0,40%)
     
  • FTSE

    5.889,22
    +4,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.569,54
    +27,28 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    23.567,04
    -104,09 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    11.694,00
    +33,25 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6264
    +0,0275 (+0,42%)
     

Sindicato chama Tribunal de ‘covarde’ e pede que greve dos Correios continue

Marcus Couto
·2 minutos de leitura
Trabalhador dos Correios em greve. (Foto: Agência Brasil)
Trabalhador dos Correios em greve. (Foto: Agência Brasil)

A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios (Fentect) disparou nesta semana um comunicado aos sindicatos dos funcionários dos Correios pedindo que eles mantenham a greve que paralisa parte dos serviços postais brasileiros. As informações são de coluna de Carla Araújo, do UOL.

A Fentect contesta decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que determinou a suspensão da greve.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

"Conclamamos a todos os trabalhadores e trabalhadoras do país a se manterem firmes na greve diante dos ataques do governo, que usou o Tribunal Superior do Trabalho para atacar os nossos direitos”, diz o comunicado obtido pelo UOL.

"Não podemos permitir esse ataque, que representa a retirada de até 40% da remuneração dos trabalhadores em meio à pandemia que assola todo o mundo. Uma atitude covarde que os trabalhadores e trabalhadoras não vão aceitar, pois a luta é pelo sustento das milhares de famílias que dependem dessa remuneração.”

Leia também

Agora, os sindicatos votarão esta semana pela continuidade ou interrupção da greve.

Segundo o governo, as conversas em torno da privatização dos Correios já estão avançadas. Na semana passada, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, revelou que há cinco grupos interessados na compra dos Correios brasileiros. Entre eles, as redes de varejo Magazine Luiza, Amazon e Fedex (essas duas últimas estrangeiras).

O serviço postal nacional tem estado no centro de uma discussão sobre sua privatização, acelerada por uma greve de funcionários contra condições de trabalho precárias, e a criação de uma “casta” de supersalários no topo da empresa, composta por militares ligados ao atual presidente, o general Floriano Peixoto Vieira Neto.

Os Correios afirmam que as condições financeiras da empresa não permitem atender às reivindicações dos funcionários.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube