Mercado abrirá em 10 hs
  • BOVESPA

    122.979,96
    +42,09 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.789,31
    +417,33 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,69
    -0,80 (-1,22%)
     
  • OURO

    1.868,00
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    40.553,02
    -4.470,73 (-9,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.125,53
    -127,61 (-10,18%)
     
  • S&P500

    4.127,83
    -35,46 (-0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.060,66
    -267,13 (-0,78%)
     
  • FTSE

    7.034,24
    +1,39 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.008,09
    -398,75 (-1,40%)
     
  • NASDAQ

    13.168,00
    -44,00 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4304
    +0,0003 (+0,00%)
     

Sindicalização de funcionários da Amazon enfrenta dificuldades para ser aprovada

Hilary Russ
·2 minuto de leitura

Por Hilary Russ

(Reuters) - O sindicato que espera mudar a história do trabalho nos Estados Unidos, organizando funcionários de centro de distribuição da Amazon no Estado do Alabama, enfrenta uma árdua batalha quando a contagem de votos for retomada nesta sexta-feira.

Os trabalhadores da Amazon no armazém em Bessemer estão a caminho de rejeitar a sindicalização por uma margem de 2 votos contra 1, com quase metade dos 3.215 votos contados na última quinta-feira. Cerca de 1.100 cédulas foram de votos contra a formação de um sindicato, e 463 a favor.

A sindicalização da Amazon, o segundo maior empregador privado dos EUA, poderia ser um começo para reverter o declínio de longa data na filiação sindical no país, que caiu de 20% da força de trabalho elegível em 1983 para 11% em 2020, de acordo com o Bureau of Labor Statistics.

Qualquer que seja o resultado da votação, o Sindicato do Varejo, Atacado e Loja de Departamento (RWDSU, na sigla em inglês), que está tentando organizar os funcionários da Amazon, tem as mesmas opções legais que a empresa: contestar a elegibilidade de eleitores individuais ou alegar que uma conduta coercitiva da empresa maculou a eleição.

Em último caso, a disputa será apresentada ao National Labor Relations Board (NLRB) - agência federal independente que protege os direitos dos trabalhadores do setor privado - e, provavelmente, a um tribunal federal de apelações.

A contagem de votos ocorreu após mais de uma semana de contestações às cédulas durante procedimentos a portas fechadas que poderiam influenciar o resultado final. Os advogados da Amazon e do sindicato foram autorizados a questionar as cédulas por suspeita de adulteração, a elegibilidade dos votantes e outras questões.

O sindicato alega que houve centenas de cédulas contestadas, tornando incerto o número de votos necessários para se apontar que lado vai sair vencedor. O NLRB, que está supervisionando a eleição, julgará o caso nos próximos dias.

A Amazon por anos desencorajou tentativas de organização sindical entre seus mais de 800 mil funcionários norte-americanos, ensinando aos gerentes como identificar atividades sindicais, aumentando salários e alertando que as contribuições sindicais reduziriam os pagamentos, de acordo com um vídeo de treinamento antigo da empresa, declarações públicas e o site da eleição do sindicato.

A empresa alega que está seguindo todas as regras do NLRB, que quer que os funcionários entendam os dois lados do caso, e que o RWDSU não representa a maioria das opiniões de seus trabalhadores. A Amazon disse que deseja que o maior número possível de funcionários vote.