Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.091,08
    -116,88 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.908,18
    -121,36 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,53
    +0,41 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.856,10
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    39.774,43
    -511,23 (-1,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    988,14
    -22,47 (-2,22%)
     
  • S&P500

    4.246,59
    -8,56 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    34.299,33
    -94,42 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.172,48
    +25,80 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    28.638,53
    -203,60 (-0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.393,09
    -48,21 (-0,16%)
     
  • NASDAQ

    14.037,25
    +7,00 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1131
    -0,0048 (-0,08%)
     

Sinais de fumaça? Burger King cria rastros para localização de lanchonetes

·1 minuto de leitura
Desde o início da pandemia e da consequente necessidade de distanciamento social, o Burger King investiu fortemente em campanhas de divulgação do seu aplicativo
Desde o início da pandemia e da consequente necessidade de distanciamento social, o Burger King investiu fortemente em campanhas de divulgação do seu aplicativo

O Burger King do Reino Unido ressuscitou uma forma de comunicação inusitada para atrair o público à sua rede de lanchonetes: sinais de fumaça. Mas virtuais e pela tela do smartphone mesmo.

Leia também:

A marca inseriu QR Codes em todos os seus anúncios espalhados pelo país. Ao escaneá-los, um filtro de realidade aumentada se abre no Instagram e rastros de fumaça indicam, no visor, qual o caminho para o restaurante mais próximo.

Criada pela agência BBH London em um comercial de 20 segundos, a campanha traz ainda o lema “It’s not a Secret, It’s Fire”, em alusão à fumaça que sai das grelhas durante o preparo dos hambúrgueres e para reforçar que o vapor é verdadeiro e não produzido artificialmente.

Desde o início da pandemia e da consequente necessidade de distanciamento social, o Burger King investiu fortemente em campanhas de divulgação do seu aplicativo, de modalidades de delivery e das possibilidades de retirar o pedido na unidade mais próxima. O objetivo agora é que as pessoas voltem a consumir presencialmente.