Mercado abrirá em 5 h 38 min
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,52
    -0,14 (-0,19%)
     
  • OURO

    1.779,60
    -3,30 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    32.625,39
    -399,03 (-1,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    783,58
    -66,77 (-7,85%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.075,26
    +12,97 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.408,03
    -80,97 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.115,75
    -14,25 (-0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9719
    -0,0034 (-0,06%)
     

Signal vai às alturas e cresce 1.200% nos primeiros 4 meses de 2021

·3 minuto de leitura

O Signal, mensageiro cuja principal proposta é zelar pela privacidade de seus usuários, viu sua popularidade explodir em janeiro de 2021. Métricas do site SensorTower finalmente apresentam conclusões sobre os primeiros quatro meses do ano, e elas registram que o app controlado pela Signal Foundation inflou sua base em quase 1.200%, colocando-o como destaque entre outros mensageiros, como o Telegram e WhatsApp.

Somando os números de Play Store e App Store, foram 64,6 milhões de downloads do Signal em todo o mundo, 51 milhões deles somente em janeiro — mês em que o WhatsApp anunciou a nova política de privacidade. Em paralelo, o Telegram também aproveitou a migração e atraiu 162 milhões de downloads — 64 milhões deles no primeiro mês do ano. Neste caso, gerando 98% de crescimento.

Mês de janeiro registrou maiores crescimentos para mensageiros alternativos (Imagem: Reprodução/SensorTower)
Mês de janeiro registrou maiores crescimentos para mensageiros alternativos (Imagem: Reprodução/SensorTower)

Além de aproveitar o desconforto gerado pelos novos termos do WhatsApp, o Telegram introduziu grandes novidades, como novas versões web, sistema de pagamentos integrado e as salas de áudio no estilo Clubhouse.

Entretanto, embora o WhatsApp esteja dando espaço para outros mensageiros, ele não perdeu terreno nesse período. O crescimento da plataforma diminuiu em 43% quando comparado ao mesmo momento no ano passado, mas ainda garantiu 172,3 milhões de downloads únicos. Nesse meio tempo, a plataforma atingiu o marco de 2 bilhões de usuários, reiterando sua liderança absoluta.

As novas políticas fizeram diferença para o WhatsApp?

A resposta dessa pergunta depende da perspectiva. A movimentação gerada pela imposição dos termos de uso colocou outros mensageiros em evidência, o que configura uma mudança significativa no mercado. Apps desse tipo dependem da adesão mútua entre dois ou mais usuários para gerar conversas, e o crescimento inicial da base, portanto, abre espaço para avanços mais lentos ao longo do tempo.

Do outro lado, em matéria de popularidade, o WhatsApp pouco mudou. O Facebook contou na última semana que a maior parte dos usuários já tinha aceitado o contrato e afirmou que "o app continua crescendo", apesar de não ter apresentado qualquer número.

Ir para outro mensageiro não depende da exclusão do primeiro. Contudo, diferente de navegadores ou outros aplicativos, a vasta presença do app do Facebook o coloca como “download obrigatório” para conversar com a maioria das pessoas pelo celular.

No Brasil, o cenário é ainda mais excepcional. 98% dos celulares brasileiros têm o WhatsApp instalado, enquanto o Telegram está apenas em 45%, e o Signal está em somente 12%. A discrepância é tamanha, que a decisão unilateral de suspender usuários resistentes à nova política gerou desconforto em autoridades locais, que por sua vez pediram que o Facebook revisasse mudanças em seus termos de uso.

No próximo sábado (15), o WhatsApp não banirá imediatamente usuários que não aceitaram os termos, mas suas funções vão se esvair: pouco a pouco, o app será tomado pela tela de aviso do contrato até se tornar totalmente inacessível. Se mudar de ideia e a pessoa finalmente concordar com a política, o mensageiro volta a operar normalmente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos