Mercado fechado

Sienna Miller conta que Chadwick Boseman doou parte do salário para ela

Laísa Trojaike
·2 minutos de leitura

O legado de Chadwick Boseman dentro e fora das telas continua a ser compartilhado. O ator esteve no elenco de Crime sem Saída com Sienna Miller, que comentou sobre a generosidade incondicional do colega em uma entrevista à revista Empire.

Miller explicou que Boseman tinha uma preocupação com a equidade do trabalho de ambos e que lutou para que ela recebesse um salário mais justo, chegando a abrir mão de uma parte de seu próprio salário para que isso acontecesse. Não é novidade que, em Hollywood e na indústria cinematográfica em geral, as mulheres tendem a ganhar menos que os homens mesmo quando os trabalhos são equivalentes ou similares.

J.K. Simmons, Chadwick Boseman e Sienna Miller em Crime Sem Saída (Imagem: Reprodução/Diamond Films
J.K. Simmons, Chadwick Boseman e Sienna Miller em Crime Sem Saída (Imagem: Reprodução/Diamond Films

Além do incentivo financeiro, Miller comentou também que, no início, não estava muito inclinada a aceitar o trabalho, porque estava exausta de trabalhar sem parar. Segundo ela, Boseman foi quem a convenceu a assumir o papel de Frankie Burns. E o motivo? Porque ele se dizia um grande fã do trabalho dela.

“Este foi um filme de grande orçamento, e sei que todo mundo entende a disparidade salarial em Hollywood, mas pedi um número que o estúdio não iria conseguir”, explicou Miller. “Chadwick acabou doando parte de seu salário para me levar ao número que eu havia pedido. Ele disse que era isso que eu merecia receber.” E continuou: “Foi a coisa mais surpreendente que já experimentei. Esse tipo de coisa simplesmente não acontece."

Mais conhecido por seu papel como protagonista de Pantera Negra, Chadwick Boseman, que morreu em agosto aos 43 anos em decorrência de um câncer, deixa um legado que vai além da sua vida pessoal e profissional, tornando-se um dos maiores ícones contemporâneos de representatividade.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: