Mercado fechado

Shopper.com oferece alternativa de fazer compras sem sair de casa

Foto: Getty Images

Por Mariana Lima

A falta de inovação no mercado de supermercados chamou atenção dos administradores Fábio Rodas e Bruna Vaz e fez com que eles entrassem de vez no mundo do empreendedorismo criando a Shopper.com.br.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

A ideia chegou ao mercado em 2015 depois dos empreendedores receberem mentoria do empresário Jorge Paulo Lemann. À época, Lemann sugeriu à dupla que o novo negócio adaptassem para a realidade brasileira uma solução que já funciona em outros países.

Leia também

Os estudos feitos pela dupla, no entanto, indicaram que era preciso ir além da mera compra de suplementos pela internet. Com o auxílio da tecnologia, desenvolveram uma plataforma que estima quais produtos precisam ser comprados novamente no próximo mês.

Hoje, a plataforma funciona assim: o cliente escolhe os produtos no site e os recebe em casa; depois, baseado na compra, o sistema deixa pré-programado um pedido para o próximo mês e, dias antes, sugere o cliente que faça ajustes dos itens e quantidades a serem compradas.

O formato, garante Rodas, ajuda na organização e economia das famílias. "Como há esse planejamento e previsibilidade dos pedidos, conseguimos oferecer preços mais baixos", diz.

Ao contrário de outras startups que entregam produtos vendidos em supermercado, como a Rappi e o iFood, a Shopper compra os itens da própria indústria. A estratégia, diz o executivo, também se diferencia dos concorrentes porque a startup prioriza compras maiores mensais, não de poucos produtos de reposição. Assim, diz Rodas, a startup também economiza porque evitar ter um estoque parado.

"Compramos direto da indústria apenas o que sabemos que será vendido, temos custos de m² baixos, diferente dos supermercados tradicionais e conseguimos planejar com antecedência as entregas. Por isso tudo, temos preços em média 12% menores que os supermercados online tradicionais", calcula.

Para Rodas o principal desafio continua sendo a educação dos clientes. Segundo ele, explicar o sistema de planejamento ainda é complicado, mas que aos poucos os clientes têm compreendidos as vantagens da plataforma. " Uma vez que se entende que há um jeito diferente, mais inteligente e mais eficiente, de manter a casa abastecida, fica muito mais fácil a adesão ao modelo", diz.

A startup já atraiu investidores conhecidos como o fundo de capital de risco Canary, o ex-presidente da Renner José Galló e Ariel Lambrecht, fundador da 99 e Yellow. Somente na última rodada foram captados R$ 10 milhões.

Hoje, é possível comprar pela Shopper em 500 bairros de São Paulo, Barueri e Santana de Parnaíba. Atualmente, mais de 100 mil pessoas cadastradas na plataforma, de acordo com a empresa. À frente dessa operação estão 120 funcionários, mas a expectativa é chegar a 170 até o fim do ano.