Mercado abrirá em 8 mins
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,31
    -0,43 (-0,55%)
     
  • OURO

    1.650,30
    -5,30 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    18.999,22
    -102,63 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    435,75
    -8,79 (-1,98%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.957,73
    -60,87 (-0,87%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.328,50
    -48,25 (-0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1372
    +0,0396 (+0,78%)
     

Shopee sai da Argentina e diminui operações no México, Chile e Colômbia

A gigante do comércio eletrônico Shopee anunciou na última quinta-feira (8) que vai encerrar suas operações em três mercados importantes da América Latina, México, Colômbia e Chile. Além disso, a empresa deixará de operar na Argentina, segundo maior mercado consumidor da América do Sul. De acordo com a agência de notícias Reuters, o motivo é uma elevada incerteza no cenário internacional.

A empresa, que é o braço de comércio eletrônico do conglomerado de tecnologia Sea Limited, baseado em Singapura, continuará operando na Colômbia, no Chile e no México, mas deve cortar praticamente todas as suas equipes, operando com o mínimo de pessoal. Já na Argentina, a situação é um pouco pior, e a empresa deixará totalmente nosso vizinho ao sul.

Brasil não foi afetado

De acordo com a Reuters, o Brasil, que é o principal mercado consumidor da Shopee na América do Sul, não será afetado pelas mudanças e não terá nenhum corte em suas equipes. Com os cortes, a empresa deve deixar dezenas de pessoas sem emprego em um momento em que Chile e Colômbia passam por instabilidade política e econômica, com mudanças nas relações de poder.

Não se sabe ao certo quantos trabalhadores foram desligados. Em um comunicado interno, o presidente-executivo da empresa, Chris Feng, disse aos funcionários que as demissões se deram por conta de uma conjuntura de elevada incerteza macroeconômica. Segundo Feng, esse cenário forçou a empresa a concentrar seus esforços em suas operações principais, como México, Colômbia, Chile e Brasil.

Procurada pelo Canaltech, a Shopee não se posicionou oficialmente sobre o fato até o momento da publicação desta matéria.

Em junho deste ano, a onda de demissões da empresa de e-commerce atingiu em cheio o Brasil. Na ocasião, a companhia desligou cerca de 50 funcionários. Vale ressaltar que o contingente é relativamente baixo, já que a empresa possui, atualmente, mais de 1,5 mil trabalhadores no Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: