Shigeru Miyamoto, o gênio da Nintendo

Shigeru Miyamoto - Prêmio Príncipe das Astúrias de Humanidades e Comunicação 2012 - posa com o console Wii U
Risonho, educado e cuidadoso, Shigeru Miyamoto (Kioto, 1952) não perdeu em seu olhar o brilho e a esperança daquele menino que sonhava em ser desenhista de mangá (história em quadrinhos japonesa) e que canalizou sua genialidade para o mundo dos videogames.

Depois de muitosprêmios e reconhecimentos internacionais, foi recentemente agraciado com o Prêmio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades 2012, que foi entregue no dia 26 de outubro em Oviedo (Espanha).

Miyamoto mantém sua humildade, seu empenho pela recreação e pretende aproximar o mundo dos videogames cada vez mais com o conceito universal de cultura.

Ao sul da estação de trens de Kioto está o quartel-general da Nintendo, um enorme cubo branco, separado do exterior por muros que guardam em seu interior o segredo e a magia de Miyamoto.
Na entrada, os guardas de segurança rigorosamente uniformizados combinam simplicidade com uma decoraçãoinfantil da guarita, na qual prevalecem imagens e bonecos do ícone da casa, o gordinho e saltitante encanador Mario.

"Queria ser desenhista de mangá"


Através de uma porta na enorme entrada, minimalista, silenciosa e limpa, se chega a uma sala na qual Miyamoto, de aspecto jovial e vestido com uma jaqueta negra e camisa cinza com imagens de um Mario "pixelado", abre as portas da sua 'fábrica' enigmática.

"Apesar de ter participado do nascimento dos videogames, originariamente queria ser desenhista de mangá", revelaMiyamoto em uma entrevista exclusiva com a Efe, que considera seu trabalho na Nintendo como "uma ferramenta" para se expressar.

O diretor de desenvolvimento criativo da Nintendo acredita que o mais interessante dos videogames é a sua "natureza única de interação", uma singularidade que faz o usuário pensar e decidir.

"Nos videogames não podem ser repetidos os mesmos processos. Depende de cada pessoa, de cada situação", e isso permite que possam ser resolvidos "de formas muito diferentes", afirma.

Em suas criações, sua equipe na Nintendo prepara um número limitado de soluções e opções em cada jogo mas, "às vezes existem coisas que nem os criadores conseguem imaginar, o que gera um vínculo muito emocionante que une o criador com o usuário", comenta Miyamoto a Efe.

Da sua imaginação e grande habilidade nasceram mais de uma centena de jogos e personagens, embora, de todos eles, reconhece guardar um carinho especial por sua primeira criação, "Donkey Kong", um jogo de habilidade recreativa que, em 1981, apresentou o Super Marioao mundo eque mais tarde se tornou a imagem mais universal da empresa e sua principal franquia.

"Donkey Kong é especial para mim. Quando trabalhava nesse projeto pensava que se 'Donkey' fosse um sucesso, iria me dedicar aos videogames por toda a vida. Esse jogo determinou minha carreira", assegurou Miyamoto.

Para o artista, Mario ocupa um lugar prioritário em sua vida, já que esse personagem, "junto com o hardware da Nintendo, promoveu a difusãodos videogames no mundo".

Pagination

(2 Páginas) | Ler tudo
Carregando...