Mercado abrirá em 7 h 4 min
  • BOVESPA

    117.560,83
    +362,83 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,88 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,21
    -0,24 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.721,20
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.980,88
    -340,02 (-1,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    454,75
    -8,38 (-1,81%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,96 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    17.737,07
    -275,08 (-1,53%)
     
  • NIKKEI

    27.111,27
    -200,03 (-0,73%)
     
  • NASDAQ

    11.515,00
    -26,75 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0993
    -0,0142 (-0,28%)
     

Shell vai aumentar retornos a acionistas após salto nos preços do petróleo

·1 min de leitura
Logo da Shell fotografado em Wesseling, Alemanha

Por Ron Bousso

LONDRES (Reuters) - A petroleira Shell vai ampliar os retornos a acionistas por meio de recompras de ações ou dividendos antes do esperado, após uma forte alta nos preços do petróleo e gás ter ajudado a companhia a reduzir sua dívida, disse a empresa anglo-holandesa nesta quarta-feira.

A partir do segundo trimestre, a Shell aumentará a distribuição a acionistas para um nível de 20% a 30% do fluxo de caixa de suas operações, informou a companhia em comunicado ao mercado antes de publicar seu balanço trimestral.

O movimento, que ocorre antes do que muitos analistas esperavam, deve-se a "fortes resultados operacionais e financeiros, combinados a uma melhora no cenário macroeconômico".

A Shell havia afirmado anteriormente que ampliaria os retornos a acionistas assim que sua dívida líquida recuasse para menos de 65 bilhões de dólares. A empresa disse nesta quarta-feira que vai "retirar" a meta, sem especificar se a atingiu.

"A Shell espera ter reduzido sua dívida líquida no segundo trimestre, embora a extensão dessa redução seja moderada por movimentos de capital de giro", afirmou a companhia.

O aumento nos retornos aos acionistas "é um marco importante, que ressalta a força da proposta de fluxo de caixa livre da Shell e transmite uma mensagem importante ao mercado", disse em nota o analista Christyan Malek, do JP Morgan.