Sharp planeja romper aliança com Enel na fabricação de baterias solares

Tóquio, 31 dez (EFE).- A empresa japonesa Sharp planeja romper sua aliança com a italiana Enel na fabricação de baterias e painéis solares, para se concentrar no mercado doméstico e perante a queda da demanda na Europa, informou nesta segunda-feira a agência local "Kyodo".

A empresa com sede em Osaka (centro), em pleno processo de reestruturação para acertar seu rendimento e sair de números vermelhos, estuda vender totalmente sua participação na empresa conjunta 3Sun, criada na Sicília (Itália) em julho de 2010 junto com a Enel e a suíça STMicroelectronics.

A fábrica, a primeira da Itália deste tipo e uma das maiores da Europa, teve um custo de 49 milhões de euros e é formada por partes iguais pelas três empresas, das quais a Sharp se encarrega do desenvolvimento tecnológico.

A ideia da japonesa é deixar a empresa de joint venture para poder melhorar sua rentabilidade e se concentrar no mercado doméstico, onde se espera que a demanda deste tipo de painéis aumente para uso particular, e perante o rápido crescimento no mercado asiático.

A Sharp, que também conta com outra empresa de joint venture com a Enel destinada à fabricação de fábricas solares na Europa, estuda também vender a metade de sua participação nesta companhia, detalhou a "Kyodo".

A estratégia da Sharp é a de se retirar tanto da fabricação como da distribuição no setor das baterias e dos painéis solares na Europa e nos EUA no final deste ano fiscal, que termina em 31 de março de 2013.

Neste sentido, o gigante japonês procura vender também sua empresa de energia solar nos EUA, a Recurrent Energy LLC, adquirida pela Sharp em 2010.

As medidas de reestruturação, com um plano que inclui o corte de cerca de 10 mil empregos, acontecem depois que o grupo registrou em 2011 uma perda líquida recorde de mais de 3,3 bilhões de euros, enquanto se traçou a meta de voltar a lucro no ano fiscal de 2013. EFE

jpf/ma

Carregando...