Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    48.103,91
    +209,66 (+0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

'Sexoterapia' facilita conversa sobre sexo, mas tem seus problemas

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Desde 2019, a Universa, plataforma do UOL que reúne assuntos voltados à mulher brasileira, produz o podcast "Sexoterapia", que tem como proposta debater questões relacionadas a sexo.

O programa tem as seis primeiras temporadas apresentadas por Marina Bessa, substituída por Bárbara dos Anjos Lima na sétima e última temporada --o que tornou os episódios mais dinâmicos e leves.

A bancada também tem a presença de Ana Canosa, sexóloga que escreveu o livro "Sexoterapia: desejos, conflitos, novos caminhos em histórias reais", no qual o podcast se baseia, além de contar com convidados esporádicos.

Dividido em sete temporadas, o programa tem caminhos diferentes para cada uma delas. A primeira e a segunda são as mais livres e baseadas principalmente em três casos apurados pela reportagem da Universa e que são desenvolvidos a cada episódio. Alguns assuntos abordados são voyeurismo, sexo casual e traição.

Os sete pecados capitais guiam os episódios da terceira temporada, cuja estrutura se mantém alinhada a casos reais e com participações de convidados.

A quarta temporada inova ao apresentar uma versão em vídeo de cada capítulo. Além disso, a temporada dedica cada episódio à história de somente uma personagem, que também participa da bancada do programa.

Com a escolha, o podcast consegue se aprofundar mais nas pessoas envolvidas e nos casos examinados, o que é bem-vindo. Ao mesmo tempo, algumas personagens são muito diferentes umas das outras, o que afeta a coesão entre os episódios e pode fazer com que alguns ouvintes percam o fio da meada.

Disposta a discutir masculinidades, a quinta temporada aborda comportamentos e dilemas sexuais vividos por homens, como disfunção erétil, além do machismo.

Alguns episódios, no entanto, fogem desse eixo central, como o que traz como convidada a cartunista Laerte. O tema abordado é crossdressing, atitude de se vestir conforme o gênero oposto e que não se relaciona necessariamente ao universo masculino --o que pode resultar em uma expectativa não cumprida ao ouvinte.

Na sexta temporada, o tema é o sexo em diferentes gerações. De como conversar sobre sexualidade com crianças à vida sexual de pessoas com mais de 60 anos. A quantidade de convidadas nestes episódios supera a de temporadas passadas, mas chama a atenção que, em alguns casos, algumas delas têm pouquíssima interação com o resto das participantes.

Bárbara dos Anjos Lima consegue dar maior leveza às conversas na sétima temporada, além de conseguir melhorar a interação entre os convidados e Ana Canosa, a psicóloga do programa, que, em muitos casos, acaba ofuscando a presença das outras pessoas na bancada.

A participação de Canosa merece um comentário à parte. Ela resgata vários casos da sua experiência profissional como psicóloga de casais, o que ajuda a ilustrar as histórias trazidas pelas sete temporadas.

Mas a psicóloga muitas vezes se esquece da presença de outros participantes, embarcando em monólogos que ficam mais evidentes no "clímax", quadro do podcast em que Canosa faz, sozinha, um resumo de tudo o que foi discutido durante o episódio.

Há pontos a melhorar, sendo o principal deles a melhor interlocução entre a bancada e convidados. Ainda assim, o podcast consegue abordar bem os variados assuntos que envolvem sexualidade e que ainda são vistos como tabu.

SEXOTERAPIA

Onde: Disponíveis nas plataformas de streamings

Autor: Apresentado por Bárbara dos Anjos Lima e Ana Canosa

Link: https://www.uol.com.br/play/universa/podcast/sexoterapia/​

Idioma: português

Avaliação: Bom

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos