Mercado abrirá em 7 h 47 min
  • BOVESPA

    108.651,05
    +248,77 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,05 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,20
    -0,30 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.806,10
    -6,20 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    22.969,86
    -905,44 (-3,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,42
    -23,93 (-4,29%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,13 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.488,15
    +5,78 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    19.588,83
    -414,61 (-2,07%)
     
  • NIKKEI

    27.795,92
    -204,04 (-0,73%)
     
  • NASDAQ

    13.017,25
    -14,25 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2347
    +0,0020 (+0,04%)
     

Seu plano de saúde foi suspenso? Entenda o que isso quer dizer

  • Cerca de 70 planos de saúde foram suspensos pela ANS no final do mês passado;

  • Motivo são ades quantidades de reclamações dos usuários;

  • Quem já é cliente não deve deixar de usar o plano, nem de realizar os pagamentos.

No final do mês passado a agência reguladora dos planos de saúde, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), realizou a suspensão da comercialização de 70 planos de saúde de 8 operadoras diferentes. Porém muitos consumidores ficaram sem entender o que isso quer dizer para eles.

Primeiramente é preciso entender o porque esses planos foram suspensos pela ANS. Acontece que uma das funções da agência regulatória é analisar a qualidade dos serviços oferecidos pelas operadoras de saúde através do Monitoramento da Garantia de Atendimento.

Entre janeiro e março deste ano foram realizadas 37,5 mil reclamações, com uma maioria significativa destas relacionadas a esses 70 planos, de forma que a ANS teve que intervir e realizar a suspensão. Dentre as maiores reclamações estavam o descumprimento de prazos máximos para a realização de consultas, exames e cirurgias, além de respostas negativas em coberturas assistenciais. Dentre as operadoras afetadas estão Amil, Biovida, Esmale, Saúde Brasil, Santo André, Unimed Norte/Nordeste e Unimed-Rio.

O consumidor que teve seu plano de saúde suspenso e está preocupado com sua cobertura, na verdade, pode respirar mais aliviado. O plano de saúde em si não foi suspenso, apenas a comercialização dele para novos clientes. Isto quer dizer que os cliente dessas empresas continuam assegurados.

"A suspensão foi da venda de novos planos, e não da utilização desses planos eles continuam funcionando normalmente, os pagamentos devem ser feitos normalmente", afirmou Paula Alves, contadora e sócia administradora da Qualycont Serviços Contábeis.

De acordo com a contadora, a suspensão dos planos foi feita para que uma auditoria fosse feita, de modo a melhorar o serviço e atendimento dos segurados. Os planos, por sua vez, só poderão voltar a ser comercializados uma vez que a ANS perceber uma diminuição no número de reclamações dos consumidores.

Mas e se isso não acontecer?

O outro desfecho possível para esses planos de saúde, além da regularização do serviço, é realmente a decisão da ANS de acabar com a comercialização desses planos. "Nesse caso os clientes terão que pegar a carência desses planos e buscar um outro", disse Paula Alves.

"O risco que a ANS não quer que os brasileiros corram é justamente de passar por um mau serviço no momento em que mais necessita. Ninguém gosta de demorar para ser atendido, ou ter uma cirurgia importante cancelada de última hora por conta de recusa, mau serviço, ou ainda a falta de repasses do plano de saúde".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos