Mercado fechará em 5 h 56 min
  • BOVESPA

    114.102,49
    +4.065,70 (+3,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.869,60
    +242,80 (+0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,92
    +4,43 (+5,57%)
     
  • OURO

    1.678,90
    +6,90 (+0,41%)
     
  • BTC-USD

    19.219,77
    +48,64 (+0,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    436,94
    +1,58 (+0,36%)
     
  • S&P500

    3.640,47
    +54,85 (+1,53%)
     
  • DOW JONES

    29.174,68
    +449,17 (+1,56%)
     
  • FTSE

    6.913,24
    +19,43 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.215,79
    +278,58 (+1,07%)
     
  • NASDAQ

    11.100,50
    +65,00 (+0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1019
    -0,2060 (-3,88%)
     

Seu iPhone pode começar a exibir mais anúncios em breve

A Apple estaria planejando exibir mais publicidade nos aplicativos da empresa para iPhones e iPads. A afirmação é do jornalista especializado em Apple, Mark Gurman, da Bloomberg, que explica se tratar de uma estratégia para tirar melhor proveito dos seus produtos e serviços.

Hoje, a Maçã já mostra anúncios nos aplicativos News e Bolsa, além da própria App Store. Isso, contudo, parece não ser suficiente para gerar retorno para a companhia e outros programas podem aderir à exibição das propagandas. Apple Mapas, Podcasts e Livros seriam os próximos a receber a atualização com os anúncios direcionados.

Aplicativos como o Bolsas, da Apple, já exibem propagandas, mas outros também deve ser incluídos no modelo de ads (Imagem: Reprodução/Reddit)
Aplicativos como o Bolsas, da Apple, já exibem propagandas, mas outros também deve ser incluídos no modelo de ads (Imagem: Reprodução/Reddit)

No Mapas, por exemplo, as empresas poderiam pagar para obter destaque, em um modelo similar ao existente no Waze. Os criadores de conteúdo poderiam investir quantias para ter seus livros ou podcasts expostos com mais destaque para o público selecionado nos apps dedicados.

De acordo com Gurman, a Apple TV Plus também deve ganhar um upgrade na quantidade de propagandas. Alguns anúncios novos já começaram a surgir durante a cobertura do Friday Night Baseball, feito semanalmente pela plataforma de streaming. A ideia seria expandir para outras áreas e mais conteúdos variados, o que aumentaria a quantidade de anunciantes.

Menos privacidade?

Com o ATT (sigla em inglês para Transparência em Rastreamento de Apps), a gigante de Cupertino evitou que Facebook e outras redes sociais direcionassem propagandas com eficácia em prol de oferecer mais privacidade do usuário. As pessoas agora precisam autorizar que as companhias façam o rastreamento da sua atividade se quiserem receber anúncios mais relevantes.

Seria muito inapropriado se a própria empresa lançasse agora um sistema de ads capaz de burlar seu mecanismo de defesa. Não dá para saber ainda como será o modelo adotado pela companhia, mas, ao que parece, as propagandas serão mais gerais e voltadas para um público amplo. Isto dispensaria a identificação de características ou padrões de comportamento do usuário, sem precisar recorrer ao monitoramento online.

O sistema não deve ser aberto a qualquer pessoa, ao menos nesta fase inicial, portanto apenas empresas selecionadas poderiam participar. Ainda não está claro qual seria o critério usado nem como ocorreria a gestão dos anúncios.

Mais dinheiro para a Apple

O objetivo da expansão obviamente é o aumento da receita. Estima-se que a Apple fature cerca de US$ 4 bilhões (mais de R$ 20 bilhões) por ano, conforme o modelo atual de publicidade do iOS, iPadOS e apps proprietários. Segundo a Bloomberg, o plano é elevar o valor para algo no patamar de dois dígitos, ou seja, superior a US$ 10 bilhões (mais de R$ 51 bilhões) nos próximos meses.

O Apple Mapas receberia um modelo de anúncios que destaca quem paga (Imagem: Reprodução/Apple)
O Apple Mapas receberia um modelo de anúncios que destaca quem paga (Imagem: Reprodução/Apple)

Se este rumor se confirmar, é provável que a Apple faça a mudança em uma atualização futura do iOS 16, já que o sistema operacional está praticamente pronto para ser disponibilizado ao público. Se este for o caso, poderia haver uma onda considerável de usuários que deixariam de instalar o update para evitar o bombardeio de propaganda.

No começo de agosto, surgiram rumores de uso de publicidade na App Store. A companhia supostamente abrirá espaço para propaganda em mais áreas da loja de aplicativos, incluindo a aba “Hoje” e a seção dedicada a um app específico.

O lançamento do iPhone 14, previsto para ocorrer no próximo mês, deve marcar o desembarque do novo sistema da Apple. A expectativa não está tão elevada, já que este pode ser uma atualização bastante modesta se comparada à anterior, com foco em ajustes menores e algumas mudanças de personalização na tela inicial dos aparelhos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: