Mercado abrirá em 4 h 43 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,62
    +0,42 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.768,10
    +4,40 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    16.882,45
    +391,63 (+2,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,94
    +12,22 (+3,14%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.385,81
    +181,13 (+0,99%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.537,00
    +12,25 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4708
    +0,0142 (+0,26%)
     

Setor público tem superávit de R$10,7 bi em setembro e dívida bruta cai a 77,1% do PIB

Pessoa passa em frente à sede do Banco Central em Brasília

Por Bernardo Caram

BRASÍLIA (Reuters) - O setor público consolidado brasileiro registrou um superávit primário de 10,746 bilhões de reais em setembro, informou o Banco Central nesta segunda-feira, com a dívida bruta do governo mantendo trajetória de baixa, em nível observado no início da pandemia de Covid-19. O resultado primário do mês ficou ligeiramente abaixo da expectativa do mercado, segundo pesquisa da Reuters, que projetava um superávit primário de 11,1 bilhões de reais no mês. Em setembro, a dívida bruta do país ficou em 77,1% do PIB, ante 77,5% no mês anterior e 82,3% em setembro de 2021. O patamar é o mais baixo desde março de 2020, quando o indicador estava em 77,0% e o governo iniciou uma série de despesas para o combate à crise sanitária.

A dívida líquida, por sua vez, foi a 58,3% em setembro, contra 58,2% no mês anterior.

O resultado primário acumulado em 12 meses alcançou um superávit de 181,358 bilhões de reais em setembro, o que corresponde a 1,93% do Produto Interno Bruto (PIB). No mês anterior, o saldo acumulado estava em 1,97% do PIB.

Os dados englobam as contas de governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência), Estados, municípios e empresas estatais e não inclui as despesas com juros.

O resultado primário de setembro foi influenciado pelo resultado positivo do governo federal e de Estados e municípios, enquanto o dado ficou no vermelho para as estatais.

O governo central apresentou um superávit de 11,113 bilhões de reais no mês. Governos regionais tiveram superávit de 321 milhões de reais --resultado de superávit de 3,253 bilhões de reais nos Estados e déficit de 2,932 bilhões de reais nos municípios. As estatais foram deficitárias em 688 milhões de reais.

No mês, o gasto com juros somou 71,364 bilhões de reais, contra 35,628 bilhões de reais no mês anterior e 54,952 bilhões de reais em setembro de 2021.

Com isso, o resultado nominal do setor público ficou em déficit de 60,618 bilhões de reais --estava negativo em 65,907 bilhões de reais em agosto e 42,018 bilhões de reais em setembro de 2021.