Mercado fechará em 4 h 36 min

Setor público consolidado tem déficit primário de R$ 64,6 bi em setembro, diz BC

Alex Ribeiro e Estevão Taiar
·2 minuto de leitura

No ano, o governo registra um déficit de R$ 635,926 bilhões Marcos Santos/USP Imagens O setor público consolidado fechou setembro com déficit primário de R$ 64,559 bilhões, de acordo com o Banco Central (BC). Em setembro do ano passado, o resultado havia sido deficitário em R$ 20,541bilhões. Os dados do setor público consolidado envolvem governo central (formado por Previdência e Tesouro, além do próprio BC), Estados, municípios e estatais. Ficam fora da conta Petrobras, Eletrobras e bancos públicos, como Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. No ano, o governo registra um déficit de R$ 635,926 bilhões. Em 12 meses até setembro, por sua vez, o déficit alcançou R$ 635,306 bilhões, o equivalente a 9,08% do Produto Interno Bruto (PIB). Em agosto, estava em 8,49% do PIB. O resultado do mês passado refletiu um déficit do governo central de R$ 96,471 bilhões e um superávit de R$ 8,948 bilhões dos Estados, municípios e suas respectivas estatais. Déficit nominal Segundo o BC, o setor público consolidado registrou déficit nominal, que inclui despesas com juros, de R$ 103,419 bilhões em setembro. Um ano antes o resultado havia sido deficitário em R$ 45,920 bilhões. O resultado nominal do mês passado refletiu um déficit primário de R$ 64,559 bilhões e uma conta de juros de R$ 38,860 bilhões. No ano, o déficit nominal é de R$ 888,522 bilhões, em comparação com R$ 326,679 bilhões no mesmo período de 2019. Em 12 meses até setembro, por sua vez, alcançou R$ 990,996 bilhões, o equivalente a 13,74% do Produto Interno Bruto (PIB). Em agosto, estava em 12,97% do PIB. A conta de juros no mesmo período somou R$ 335,690 bilhões, ou 4,65% do PIB, vinda de 4,48% em agosto. Os dados não incluem Petrobras e Eletrobras. Os bancos estatais também não entram na conta, pois as estatísticas se referem ao setor público não financeiro.