Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.101,99
    +1.088,52 (+1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.508,35
    -314,88 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,29
    -0,67 (-0,77%)
     
  • OURO

    1.839,80
    -2,80 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    41.120,72
    -808,50 (-1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,43
    -2,83 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.482,73
    -50,03 (-1,10%)
     
  • DOW JONES

    34.715,39
    -313,26 (-0,89%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    14.725,75
    -307,75 (-2,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1299
    -0,0375 (-0,61%)
     

Setor espacial precisa de empurrão de Musk para atrair mercado

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Ações do setor espacial escorregaram nos últimos 12 meses, apesar da atração futurística. Algum impulso como o empurrão dado por Elon Musk na indústria de veículos elétricos pode ser exatamente o que esses papéis precisam para conseguir uma virada em 2022.

Musk sinalizou a possibilidade de abrir o capital de sua SpaceX, e o paralelo com o mercado de veículos elétricos (VEs) seria difícil de ignorar. Exploração espacial e veículos elétricos se concentram em um futuro que ainda não chegou, prometendo enormes oportunidades à medida que novas tecnologias se tornam empresas viáveis.

Mas enquanto ações ligadas à revolução dos VEs dispararam este ano, empresas com foco no espaço - depois de certa euforia inicial - ficaram aquém do mercado em geral. Voos turísticos com grande pompa conduzidos pela Virgin Galactic, empresa de capital aberto controlada por Richard Branson, e pela Blue Origin, de Jeff Bezos, de capital fechado, além da SpaceX de Musk, não foram suficientes para superar dúvidas se o negócio é de fato viável ou apenas entretenimento para bilionários.

“De lançamentos espaciais comerciais relacionados a satélites e turismo espacial, ou mesmo coisas mais futurísticas como mineração de asteroides - muito disso é uma indústria completamente não comprovada, e não está claro quanta demanda existe”, disse Jay Jacobs, chefe de pesquisa e estratégia da Global X Management. Além do mais, não existem muitas empresas listadas com esse foco além da Virgin Galactic, disse Jacobs, cuja gestora administra fundos de índice, mas ainda não lançou um ETF para o setor espacial.

Isso deixa o segmento sem um claro favorito ou marcos que possam ajudar investidores de renda variável a avaliar o progresso. Não ajuda o fato de que empresas listadas não tenham uma líder carismática para chamar a atenção do mercado. Se a Space Exploration Technologies de Musk decidir abrir o capital, isso resolveria alguns desses problemas de uma vez.

Nicholas Colas, cofundador da DataTrek Research, disse que um IPO “poderia chamar a atenção das pessoas e fazê-las entender o que é investir em espaço. Não se trata de ir a Marte ou fazer turismo, mas levar hardware para o espaço com tecnologia atual e atualizada”.

A SpaceX não respondeu a um pedido de comentário.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos