Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,90
    +3,41 (+3,09%)
     
  • OURO

    1.823,50
    +15,30 (+0,85%)
     
  • BTC-USD

    29.850,43
    -1.129,56 (-3,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    667,04
    +424,36 (+174,87%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.464,80
    +46,65 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    19.950,21
    +51,44 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    26.547,05
    +119,40 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.233,00
    -149,75 (-1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2780
    +0,0189 (+0,36%)
     

Sete horas de sono é o tempo ideal para quem passou dos 40, diz estudo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Pesquisadores da University of Cambridge e da University of Fudan, que publicaram sua pesquisa nesta sexta-feira (29) no periódico científico Nature Aging, concluíram que sete horas de sono é o tempo ideal para pessoas de meia idade (em média, de 40 a 60 anos) e de terceira idade (acima dos 60). Menos ou mais do que isso pode diminuir a performance cognitiva e a saúde mental do indivíduo.

O sono é muito importante para manter as funções cognitivas afiadas e ter uma boa saúde psicológica, além de deixar o cérebro saudável ao remover resíduos do órgão. O padrão dessa atividade vai se alterando à medida que envelhecemos, surgindo dificuldades para adormecer ou permanecer dormindo durante a noite. A privação de sono pode diminuir funções cognitivas e até causar desordens psiquiátricas.

Dormir menos do que o recomendado é prejudicial a saúde, mas aparentemente dormir mais também é (Imagem: Engagestock/Envato Elements)
Dormir menos do que o recomendado é prejudicial a saúde, mas aparentemente dormir mais também é (Imagem: Engagestock/Envato Elements)

Desvendando o sono

A pesquisa, que é uma colaboração entre pesquisadores britânicos e chineses, examinou dados de quase 500.000 adultos de 38 a 73 anos do estudo UK Biobank. Os participantes foram questionados acerca de seus padrões de sono, saúde mental e bem-estar, e realizaram uma série de testes cognitivos. Cerca de 40.000 dos participantes também tinham dados genéticos e imageamento do cérebro disponíveis para consulta.

Examinando os dados, a equipe descobriu que pouco tempo ou muito tempo de sono estão associados a uma diminuição das funções cognitivas, como velocidade de processamento de informações, atenção visual, memória e habilidades de solução de problemas. O tempo ideal de sono seria 7 horas, então, o que também ajuda na saúde mental, já que os pesquisados que desviaram desse padrão tinham mais sintomas de depressão, ansiedade e menor bem-estar geral.

A razão para isso acontecer, acreditam os cientistas, está na disrupção do sono de ondas lentas, também chamado sono profundo. Quando ele é afetado, a consolidação da memória também é, porque nesse caso se acumulam amiloides — proteínas-chave que, quando têm seu funcionamento atrapalhado, acabam "emaranhando" o cérebro, o que é característico em certas formas de demência, como o Alzheimer. A falta de sono também pode diminuir a habilidade do cérebro de se livrar de toxinas.

O cuidado com o sono é importante especialmente em idades mais avançadas, quando há maior risco de doenças degenerativas no cérebro (Imagem: microgen/envato)
O cuidado com o sono é importante especialmente em idades mais avançadas, quando há maior risco de doenças degenerativas no cérebro (Imagem: microgen/envato)

Ligações entre as áreas do cérebro envolvidas com a estrutura cerebral de regiões do órgão envolvidas em processamento cognitivo e de memória, bem como a quantidade de sono diário também foram encontradas pelos cientistas, novamente associadas às 7 horas definidas pelo estudo. Estudos anteriores também ligaram a interrupção de padrões de sono com aumento nas inflamações do corpo, além de suscetibilidade a doenças relacionadas à idade em pessoas mais velhas.

O declínio cognitivo que acontece à medida que envelhecemos também pode estar ligado a dormir demais ou de menos, segundo os cientistas. Pesquisas anteriores também ligaram a duração do sono com o risco de desenvolver a doença de Alzheimer e demência, nas quais o declínio cognitivo é um sintoma chave.

Os autores do estudo terminam ressaltando a importância de uma boa noite de sono em todas as épocas da vida, mas particularmente à medida que vamos ficando mais velhos. Melhorar o sono de pessoas mais idosas pode ser crucial para ter uma vida melhor, com saúde mental e bem-estar e evitando o declínio cognitivo, principalmente em pacientes com desordens psiquiátricas e demência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos