Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.249,98
    -225,94 (-1,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Serviço de troca de iPhone da Apple funciona no Brasil?

Há anos a Apple possui o programa de troca do iPhone (ou iPhone Upgrade Program em inglês) capaz de entregar aos usuários o iPhone mais recente a cada ano, cobertura garantida do Apple Care Plus e atrativos valores mensais que partem de US$ 39,90 (cerca de R$ 200). Com tantos benefícios, muitos usuários brasileiros se perguntam: o iPhone Upgrade Program funciona no Brasil? Para a decepção geral a resposta é não.

O serviço para troca de iPhone oferece ao consumidor o iPhone de sua escolha parcelado de 24 vezes. Assim, um recém-anunciado iPhone 14 Pro com preço cheio de US$ 999 pode ser adquirido com parcelas de US$ 49,91 (~R$ 255) durante 2 anos.

Após 12 parcelas pagas, o usuário tem duas opções: manter o iPhone atual e pagar o restante das parcelas para concluir a compra e ter o iPhone para si, ou trocar o aparelho por um modelo mais recente, reiniciando o pagamento mensal de 24 vezes com mesmo valor.

Por que o iPhone Upgrade Program não funciona no Brasil?

Apple oferece serviço de upgrade de iPhone apenas nos Estados Unidos (Imagem: Divulgação/Apple)
Apple oferece serviço de upgrade de iPhone apenas nos Estados Unidos (Imagem: Divulgação/Apple)

Disponível apenas nos Estados Unidos, comprar um iPhone pelo Upgrade Program força o usuário a escolher uma operadora local (com opções entre AT&T, Sprint, T-Mobile e Verizon).

Embora o aparelho funcione fora dos Estados Unidos graças ao suporte às redes internacionais, podem haver cobranças durante o roaming em outras regiões. Além disso, para escolher um plano fixo da operadora, muitas vezes é necessário dados para garantir moradia no país.

iPhone Upgrade Program: prós e contras

Uma das maiores preocupações em relação ao iPhone Upgrade Program é que o celular não é seu enquanto o pagamento de dois nãos não for concluído. Dessa forma, você pode vendê-lo apenas após a conclusão das parcelas.

Em contrapartida, um dos principais benefícios do serviço está para a praticidade de trocar de iPhone a cada novo lançamento sem precisar gastar o preço cheio de lançamento todo ano.

Além disso, a garantia do Apple Care Plus inclusa no plano cobre dano acidental ilimitado com taxas a partir de US$ 29, incluindo tela ou vidro quebrado e danos ocasionais. Há também opção de upgrade para o plano com cobertura adicional para roubo e perda.

Alternativa nacional ao iPhone Upgrade Program

Banco Itaú possui alternativa brasileira para o iPhone Upgrade Program chamado de iPhone pra Sempre (Imagem: Divulgação/Itaú)
Banco Itaú possui alternativa brasileira para o iPhone Upgrade Program chamado de iPhone pra Sempre (Imagem: Divulgação/Itaú)

O banco Itaú possui o programa iPhone pra Sempre no Brasil onde usuários podem comprar o dispositivo pelo aplicativo no cartão de crédito e sem juros.

O serviço tem preços a partir de 21x de R$ 172,08 (correspondente a 70% do valor do iPhone), e com a conclusão dos 21 meses de pagamento os usuários possuem três escolhas:

  • Ficar com o iPhone e realizar o pagamento de 30% equivalente ao valor restante

  • Devolver o aparelho, cancelando o pagamento final de 30%

  • Trocar por um novo modelo e reiniciar a cobrança de 21x, cancelando o pagamento final de 30%

Para isso, porém, é necessário ter o valor total do aparelho disponível no limite do cartão de crédito, sendo esse considerado um dos grandes empecilhos por parte dos usuários.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: