Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.035,52
    +136,61 (+0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Sequelas da covid longa afetam crianças e adultos, revela estudo

Após a infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e a cura da doença, alguns pacientes ainda podem ficar com sequelas duradouras da covid-19. Este quadro é conhecido como pós-covid ou covid longa e, no momento, a ciência ainda investiga como a síndrome afeta o corpo. Estudos indicam que quadro podem ser observado tanto em crianças quanto em adultos.

Para aprofundar os conhecimentos sobre a covid longa, cientistas alemães acompanharam mais de 900 mil pessoas infectadas pelo vírus da covid ou não, entre os anos de 2019 e 2020. A conclusão é de que as sequelas da doença tendem a afetar cerca de 30% dos doentes, crianças ou adultos.

Publicado na revista científica PLOS Medicine, o estudo sobre a incidência da covid longa em crianças e adultos após casos agudos da infecção pelo coronavírus foi liderado por pesquisadores da Technische Universität Dresden (TU Dresden), na Alemanha.

“Os resultados do estudo indicam que a síndrome da pós-covid não deve ser descartada entre crianças e adolescentes”, afirmam os autores. “Descobrimos que o diagnóstico da covid-19 está associado a uma maior demanda de longo prazo por serviços de saúde, refletida em diagnósticos ambulatoriais e hospitalares de um amplo conjunto de resultados mais de três meses após a infecção confirmada por SARS-CoV-2", completam.

Entenda o estudo sobre as sequelas da covid-19 na população

Conhecidas como pós-covid, as sequelas da infecção pelo coronavírus afetam tanto crianças quanto adultos (Imagem: Koldunov/Envato)
Conhecidas como pós-covid, as sequelas da infecção pelo coronavírus afetam tanto crianças quanto adultos (Imagem: Koldunov/Envato)

No estudo sobre as sequelas da covid-19 na população, os pesquisadores da TU Dresden usaram dados de saúde da Alemanha. No total, foram considerados 11,9 mil crianças e 145,1 mil adultos diagnosticados com a covid-19, após um exame do tipo RT-PCR. Para comparar a incidência de 13 possíveis tipos de sequelas, os dados de saúde foram pareados (em idade, sexo e condições médicas pré-existentes) com os de outras 750 mil pessoas, que não tiveram a doença.

Qual o risco da pós-covid para crianças?

Em crianças e adolescentes com a covid-19, o risco de algum problema de saúde inesperado surgir a partir de três meses ou mais após a infecção pelo vírus da covid-19 foi de 30%. Isso quando é comparado o grupo controle.

Nos menores, os principais relatos da pós-covid mais fortemente associados foram:

  • Mal-estar, fadiga e exaustão;

  • Tosse;

  • Dor na garganta e no peito.

Além disso, os pesquisadores identificaram que os seguintes relatos também cresceram, mesmo que em menor número:

  • Dor de cabeça;

  • Febre;

  • Dor abdominal;

  • Transtorno de ansiedade ou depressão.

Qual o risco da covid longa em adultos?

Para os adultos, a taxa de incidência da covid longa foi ligeiramente maior, calculada em 33%. Aqui, é importante observar que esta porcentagem tende a ser mais precisa, já que um número mais expressivo de casos da covid-19 em adultos foi considerado no estudo que de crianças.

Para os que têm mais de 18 anos, os sintomas mais associados à pós-covid foram:

  • Distúrbios no olfato ou no paladar;

  • Febre;

  • Dispneia (dificuldade em respirar).

Em menor grau, os cientistas relacionaram os seguintes relatos como sequelas da covid-19:

  • Tosse;

  • Dor na garganta e no peito;

  • Perda de cabelo;

  • Fadiga e exaustão;

  • Dor de cabeça.

Vacinas podem prevenir covid longa

Vacinas reduzem o risco da pós-covid, segundo estudo (Imagem: SteveAllenPhoto999/Envato)
Vacinas reduzem o risco da pós-covid, segundo estudo (Imagem: SteveAllenPhoto999/Envato)

Como os dados da Alemanha demonstram, a pós-covid deve ser encarada como um problema de saúde pública e afeta parcela significativa dos pacientes infectados pelo coronavírus. Por outro lado, estudos anteriores já observaram que o risco desta síndrome pode ser reduzido, através da vacinação.

Publicado na revista científica Open Forum Infectious Diseases, estudo liderado por cientistas britânicos descobriu que a vacina contra a covid-19 pode reduzir o risco de covid longa em 40%. A pesquisa considerou pessoas entre 19 e 69 anos, e parece ser um bom indicador para reforçar a importância da vacinação.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: