Mercado fechado

Senadores cobram investigação sobre FTX: "crime de colarinho branco"

Imagem da FTX
Imagem da FTX

Apontando o caso como um possível crime de colarinho branco, dois senadores cobraram uma investigação sobre a FTX, seu ex-CEO Sam, Bankman-Fried e seus cúmplices.

A cobrança veio em forma de carta, enviada para o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ), na quarta-feira (23). De acordo com os senadores, todos os recursos da lei devem estar a disposição para responsabilizar os culpados da fraude.

Demonstrando preocupação com o rápido colapso da FTX, os senadores querem conhecer as irregularidades cometidas.

Senadores cobram investigação sobre crimes cometidos pela FTX

Em uma carta enviada ao DOJ, nos EUA, os senadores Elizabeth Warren e Sheldon Whitehouse pressionaram sobre o caso da FTX.

"Escrevemos para expressar profunda preocupação com as alegações perturbadoras de fraude e comportamento ilícito que levaram ao colapso da empresa de criptomoedas FTX Trading Ltd. (FTX) e para instar o Departamento de Justiça a manter a empresa executivos responsáveis em toda a extensão da lei."

Segundo eles, após o pedido de falência da FTX e mais 130 empresas, o mundo das criptomoedas passa por problemas graves.

São vários os investidores lesados pela empresa que travou saques após seu fim. De acordo com os senadores, tudo indica que a FTX cometeu uma série de crimes, devendo uma investigação aprofundada ser conduzida para elucidar o caso.

"A queda da FTX não foi simplesmente resultado de negócios e práticas de gestão desleixadas, mas parece ter sido causada por táticas intencionais e fraudulentas empregadas pelo Sr. Bankman-Fried e outros executivos da FTX para enriquecer."

O chamado crime do colarinho branco indica uma situação de crime sem violência. Normalmente, seus praticantes visam o enriquecimento próprio ou de terceiros, praticando fraudes contra vítimas.

SBF já havia indicado a fraude em 2021, disseram senadores

Conforme a carta enviada ao Departamento de Justiça dos EUA, os senadores indicaram que em 2021 a fraude já estava anunciada. Isso porque, na ocasião, SBF transferiu 300 milhões de dólares para suas carteiras próprias.

"Na verdade, o Sr. Bankman-Fried já havia revelado seus verdadeiros interesses de autoenriquecimento no ano passado, quando desviou US$ 300 milhões para sua própria carteira, um investimento que visava 'ajudar a crescer (FTX), melhorar a experiência do usuário e permitir que para se envolver mais com os reguladores'."

Assim, tudo caminha para uma clara situação de fraude financeira perpetuada pelo executivo que comandou uma das maiores corretoras de criptomoedas.

Por fim, os senadores indicaram que o DOJ é bom em investigar crimes financeiros, devendo a FTX ser a próxima a ter sua situação melhor esclarecida.

Fonte: Livecoins

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.